sexta-feira, 5 de maio de 2017

A ORIGEM DA ARTE DO CLÁSSICO "HYSTERIA"

O renomado e talentoso Andie Airfix
Não resta dúvida alguma que "Hysteria" é o álbum pelo qual o Def Leppard será eternamente lembrado. Não bastasse a monstruosa qualidade das canções que o compõe, há ainda uma série de histórias que cercam as gravações do trabalho que já ultrapassou a marca de 20 milhões de cópias vendidas e que, diga-se de passagem, continua vendendo.

E no meio desse turbilhão de informações, é impossível não falarmos da belíssima arte que, até hoje, surpreende pela riqueza de detalhes. O autor da obra é Andie Airfix, artista que tem em seu currículo serviços prestados à bandas como Led Zeppelin, Metallica, Judas Priest, Rolling Stones, The Who, AC/DC, Mötley Crüe, Whitesnake e muitas outras.

Mas sua ligação com o Def Leppard se deu graças ao trabalho que fez para o trio Thompson Twins em 1985. A arte para o álbum "Here's To Future Days" chamou a atenção de Peter Mensch, na época  um dos empresários da banda de Birmingham. Mensch se convenceu que Airfix era a pessoa certa para criar a nova cara do Def Leppard.

"Foi o típico brief do Def Leppard. Não me deram nenhuma infirmação. O álbum seria originalmente chamado 'Animal Instinct', então criei a arte ao redor daquele conceito", disse Airfix.

"Eu tinha a ideia de criar uma imagem que estivesse olhando para você, como que por cima do ombro, então aquela ilustração tinha uma águia, um tubarão e um leão, todos fundidos entre si. E quando mudaram o nome do álbum para 'Hysteria' tive que recriar tudo", continuou.

Esboço do que viria a ser a belíssima
arte do clássico "Hysteria"
A nova arte continha um rosto distorcido dentro de um triângulo, quase que se derretendo sobre um fundo complexo que deve sua origem, pelo menos em parte, a uma das primeiras versões do logo do Def Leppard. "O triângulo é uma imagem familiar aos fãs do Leppard, então me pareceu um bom ponto de partida. E depois disso fui criando algo que era assustador em alguns aspectos. A face que usei é quase humana, mas a imagem não é, já que reteve um aspecto animal. A ideia era que essa face, se virando para olhar olhar você, fosse mais assustadora".

O conceito todo não foi feito às pressas, já que Airfix teve nada menos que dois anos para refinar e aperfeiçoar seu trabalho, mantendo contato constante com a banda enquanto gravavam o álbum.

"Eles confiram em mim. suas opiniões, basicamente, se limitavam a dizer se estavam gostando da direção que o trabalho estava tomando ou não. Talvez alguém não tenha gostado tanto quanto a arte de 'Pyromania', mas no fim das contas, todo reconheceram que a imagem era forte e que combinava com o que a banda estava buscando, musicalmente, naquele momento", concluiu Airfix.

Para conhecer um pouco mais do espetacular trabalho de Andie Airfix, visite sua página oficial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Três anos depois de despontar como uma força a ser reconhecida no universo dos bons sons, o Tyketto dava sequência a sua carreira com &q...