segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

STEVE PERRY DEVERIA RETORNAR AO JOURNEY?!?!?

Essa é uma das perguntas mais repetidas dentro do universo dos bons sons e a resposta não é tão óbvia quanto parece. Com argumentos bastante coerentes, há defensores para o sim e para o não, e com isso em mente, o pessoal da Ultimate Classic Rock convocou dois de seus jornalistas para exporem suas opiniões acerca do assunto.

Journey, circa 1986: Perry, Cain e Schon
Pois bem, Dave Lifton é contrário à reunião de Steve Perry com o Journey, e expôs suas razões assim: "Parem de acreditar nisso! Sem ter que procurar nos arquivos da Ultimate Classic Rock, parece que tocamos nesse assunto, pelo menos, duas vezes por ano.. Alguém enfia um microfone na cara de Steve Perry ou Neal Schon e faz a única pergunta que lhe vem à mente. Eles tentam dar uma resposta diplomática e nós achamos que os contratos já estão prontos, apenas aguardando as assinaturas. Então, dias depois, vem as inevitáveis negativas.


Sejam quais forem os problemas - pessoais ou financeiros - que existem entre as partes, não parece que serão resolvidos em um futuro próximo. Perry parece estar bem confortável vivendo com o dinheiro que recebe pelo correio e escolhendo cuidadosamente seus projetos, enquanto Schon claramente se gaba por estar na banda. Além disso, Arnel Piñeda é perfeitamente capaz de cantar aquelas canções, e as pessoas contiuam a sair de casa para vê-los. Portanto, enquanto as partes envolvidas estiverem satisfeitas, porque deveriam tentar algo que poderia estragar tudo?"


Journey, circa 2012: Schon, Cain e Piñeda
Melvin Van Nebula defende o retorno de Perry à banda, e sustenta sua opinião com os seguintes argumentos: "Já se passaram mais de duas décadas desde que Perry, Schon e o tecladista Jonathan Cain dividiram o palco e mais de 25 anos que o Journey, liderado por Perry, fez uma tour.

Todo esse tempo separados não diminuiu em nada a animação dos fãs quando a mais ínfima possibilidade de reconciliação daquela formação se reunir é mencionada por qualquer um dos lados. Depois do Led Zeppelin, essa é provavelmente a mais reunião mais especulada do classic rock atualmente.

O rock and roll trata de liberdade de escolha, então nos sentimos um pouco mal quando dizemos que é hora de responder ao chamado e dar às pessoas o que elas querem. São gerações inteiras de fãs do Journey que nunca viram aquele lineup em ação. Entretanto, isso não precisa ser algo definitivo. O Journey pode aproveitar o  formato 'one night only' que o Led Zeppelin usou em 2007. Assegurem que há câmeras de alta definição gravando a coisa toda para um futuro lançamento em vídeo - e porque não, uma transmissão ao vivo no formato 'pay per view' para que o mundo todo posa assistir ao mesmo tempo (Afinal de contas, sabemos que Schon é familiarizado com esse tipo de coisa)


Ah, e enquanto estamos no assunto, garanta que Gregg Rolie e Steve Smith também sejam convidados".


E aí, qual a sua opinião?!?!?!?

3 comentários:

betobabugia disse...

Acredito que a volta de Steve Perry seria legal ,eu escuto Journey desde os anos 80, acho a versão atual da banda meio fake, falta aquela vida, sabe achava Steve Aulgeri mais adequado ao estilo da banda, os últimos lançamentos da banda foram meio decepcionantes, mas acredito que Perry não volta mais.

betobabugia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Juba.San disse...

Beto, concordo contigo em relação ao grande Steve Augeri. Na minha opinião, ele foi o melhor substituto que o Journey teve depois do Perry.

Postar um comentário

AVISO

Caríssimas e caríssimos Hoje me dirijo à São Paulo para o show dos irlandeses do U2. Com isso, a Recomendação Da Semana não será...