terça-feira, 13 de novembro de 2018

LOU GRAMM FALA SOBRE A ATUAL TOUR DO FOREIGNER COM DUAS FORMAÇÕES

Lou Gramm em ação com o Foreigner, circa 2018
Em entrevista concedida a KTLA, o grande Lou Gramm falou sobre a sua participação na tour "Double Vision: Then And Now", que reúne as formações original e atual do Foreigner.

Os shows contam com as ilustres presenças do guitarrista Mick Jones, do baterista Dennis Elliott, do tecladista Al Greenwood, do baixista Rick Willlsand e do guitarrista e saxofonista Ian McDonald.

Quando perguntado sobre qual a sensação de se apresentar com a formação atual do Foreigner, Gramm respondeu: "Esse é o Foreigner hoje e eles são um grupo muito de pessoas muito legais, grandes músicos. Então tem sido muito divertido ter a banda original tocando algumas canções, e a formação atual tocando outras e depois, todos juntos tocando. É inacreditável".

Questionado sobre como ele se sente em não fazer parte da formação atual da banda, Gramm disse: "Eu poderia ser um crítico disso se eu quisesse. Mas eu entendo que as coisas são como devem ser e essa é a continuidade do legado da banda. E eles estarem fazendo isso - e estão fazendo shows como loucos - e ter a banda original junto tocando meia dúzia de canções para mostrar ao público onde tudo começou é uma ideia única".

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

JOE PERRY PASSA MAL

O veterano Joe Perry, circa 2018
No último Sábado, Joe Perry participou do show de Billy Joel no Madison Square Garden, tocando a clássica "Walk This Way", do Aerosmith.

Logo depois, enquanto se encaminhava para seu camarim, Perry teve dificuldade em respirar e desmaiou. Foi submetido a uma traqueostomia de emergência e levado às pressas para um hospital, onde permanece até o momento.

O guitarrista está alerta e consciente, de acordo com fontes ligadas ao músico.

Aos 68 anos, Perry tem histórico de problemas respiratórios já há algum tempo e vinha mostrando sintomas disso nos últimos dias. Na noite do show, os sintomas se manifestaram de forma aguda.

Vale lembrar que Joe Perry tem o início da sua tour solo agendada para começar no próximo dia 30.

sexta-feira, 9 de novembro de 2018

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Criada em 2016, a Nordic Union reúne dois grandes nomes do rock escandinavo: o veterano Ronnie Atkins e o talentoso Erik Mårtensson, ambos bastante conhecidos no universo dos bons sons. Seu primeiro álbum autointitulado foi bastante elogiado, mesmo não sendo nada original, e agora "Second Coming" tem a tarefa de, ao menos, igualar seu predecessor. E apesar das similaridades entre os dois álbuns, não os vejo iguais.

O novo álbum tem uma série de rockers bem construídos, o que fica bastante claro em "My Fear And My Faith", "Because Of Us" (um dos destaques do álbum), a cadenciada "It Burns" e "Walk Me Through Fire" (outro destaque). Múltiplas audições são recomendadas...

A power ballad "New Life Begins" (mais um destaque) tem métrica e melodia amarradas em um arranjo tradicional, mas com ótimo resultado final, assim como "The Final War" e sua dose extra de peso ao longo dos versos, enquanto "Breathtaking" tem um refrão carregado e impactante, em claro contraste com a estrutura melódica dos versos. Já "Rock's Still Rolling" (outro destaque) traz o baixo para a linha de frente e distribui guitarras cuidadosamente na base bem complementada pela bateria. Audições cuidadosas se fazem necessárias.

Nordic Union: Atkins e Mårtensson, circa 2018
A baladaça "Die Together" equilibra perfeitamente o peso necessário e a melodia desejada em mais um destaque do álbum. Enquanto "The Best Thing I Never Had" poderia ser melhor (não fosse a virada de andamento no refrão), "Outrun You" tem resultado melhor e merece destaque. Mas a previsível versão acústica do álbum se mostra cada vez mais dispensável e, no caso de "Because Of Us", é quase vergonhosa a insistência nesse formato cansado, batido e que tem pouco valor para quem compra o álbum.

Em resumo, caríssimas e caríssimos, "Second Coming" é um álbum que não me empolgou na primeira audição. Depois de algumas tantas, confesso que esperava mais da dupla escandinava. O álbum não é ruim, de maneira alguma, mas falta alguma coisa no conjunto, que não decola. Temos momentos com grandes canções, mas há outros menos empolgantes e até cansativos. Mesmo não sendo maravilhoso, "Second Coming" tem bons momentos que justificam sua aquisição, mas esse desgaste musical surge muito cedo para um projeto com apenas dois álbuns. Se continuar nesse caminho, o próximo trabalho da Nordic Union será desastroso...

NORDIC UNION - Second Coming (Japanese Pressing)
Released in 2018 via Ward Records
Cat. #CQCS-90653

Tracklist
01 My Fear And My Faith
02 Because Of Us (assista ao vídeo aqui)
03 It Burns (assista ao vídeo aqui)
04 Walk Me Through The Fire (ouça a canção aqui)
05 New Life Begins
06 The Final War
07 Breathtaking
08 Rock's Still Rolling
09 Die Together
10 The Best Thing I Never Had
11 Outrun You
12 Because Of Us (Acoustic Remix)

Lineup
Ronnie Atkins: vocals
Erik Mårtensson: guitars, bass, keyboards, backing vocals
Magnus Ulfstedt: drums

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

BREAKING NEWS

* O projeto Devil's Hand - que reúne o legendário Mike Slamer e o vocalista Andrew Freeman - mostra mais uma canção de seu aguardado álbum homônimo. Dessa vez você pode ouvir "We Come Alive" clicando aqui;

* Outro velho nome que surge com novos sons é Kane Roberts. Seu novo álbum "The New Normal" chegará às lojas em 25 de Janeiro, mas você já pode ouvir "Forever Out Of Place" (que conta com a ilustre participação de Kip Winger) clicando aqui;

* Os espanhóis da Robert Rodrigo Band têm vídeo para "Living For Louder", canção que dá título a seu álbum que conta com os inconfundíveis vocais de Johnny Gioeli. Você pode conferir o resultado clicando aqui.

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

TOP 10 2018

Caríssimas e caríssimos

Com quase tudo de mais relevante já lançado (ainda faltam algumas coisas, é verdade), chega a hora de começarmos a olhar para trás e analisarmos tudo o que de melhor 2018 nos trouxe.

E não foi pouca coisa!

Entre pérolas e sacos de cocô, o ano foi repleto de lançamentos que foram unânimes entre uns e que dividiram opiniões entre outros.

Assim sendo - e como já de costume - venho pedir a todos que formulem suas listas com os dez trabalhos que vocês consideram os melhores de 2018.

As listas podem ser enviadas para aor-heaven@hotmail.com com o título de TOP 10 2018 até o fim da manhã do dia 31 de Dezembro, uma gloriosa segunda-feira.

O resultado final será postado logo no início da tarde.

Que comecem os jogos...

terça-feira, 6 de novembro de 2018

DOCUMENTÁRIO SOBRE O TRIUMPH VEM AÍ

Triumph reunido em estúdio, circa 2016
Não há dúvidas de que o Triumph é uma das mais relevantes bandas oriundas do Canadá. Com uma carreira encerrada depois do fantástico álbum "Surveillance" (de 1987), o guitarrista e vocalista Rik Emmett, o baterista e vocalista Gil Moore e o baixista Mike Levine seguiram caminhos diferentes.

Agora, Moore revelou em entrevista concedida ao podcast "Ouch, You're In My Hair" que a banda foi procurada pelo pessoal da Banger Films para produzirem um documentário sobre o trio.

Disse Moore: "Estamos nos estágios iniciais do documentário sobre a banda. A Banger Films é ótima quando o assunto é documentários. Eles acabaram de fazer um sobre o ZZ Top que nem foi lançado ainda. Acho que fale demais, mas agora não é mais segredo. O documentário do ZZ Top está para ser lançado e o Triumph é o próximo projeto. E eles já fizeram o documentário sobre o Rush e o Tragically Hip. Também fizeram o 'Super Duper Alice Cooper', que todo mundo assistiu. E também fizeram um sobre o Iron Maiden. Nós somos o próximo capítulo dessa série. O documentário trata sobre o U.S. Festival, sobre os problemas no fim da nossa carreira, os problemas com a gravadora. O documentário vai tratar sobre tudo isso".

O baterista foi perguntado sobre a possibilidade de a banda se reunir novamente, e a resposta foi clara: "Eu amo o Triumph. Não posso dizer que nunca tocaremos novamente. Mas Rik, dois ou três dias atrás, me disse que vai tocar até o final de Dezembro e que, depois disse, vai parar de fazer shows e viajar. A Live Nation nos abordou. Tiveram um almoço com Mike e eu há cerca de seis semanas. Eles querem que façamos um grande show em Toronto no próximo verão. E dissemos, 'Nós não estamos ensaiados, e não temos um show preparado'. E eles responderam, 'Nós planejaremos alguma coisa juntos - talvez algo como 'Triumph And Friends'".

Moore encerrou esclarecendo o que levaria à uma reunião Triumph: "Eu sei que, se nos reuníssemos, seria em nome da caridade, essa seria a motivação para fazermos isso. Teria que ser um evento de caridade, mas honestamente, não posso prometer nada. Não seri leviano com vocês nem com os fãs do Triumph. O que tiver que ser, será".

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

MR. MISTER RESGATA CANÇÕES PERDIDAS

Lang, Mastelotto, George e Page, circa 2010
O baixista e vocalista Richard Page se reuniu com o baterista Pat Mastelotto e com o tecladista Steve George para regravara três canções que ficaram de fora do álbum "Pull", originalmente gravado entre 1989 e 1990, mas somente lançado em Novembro de 2010.


"Slip Through My Fingers", "Wheel Of Life" e "Faith Unbroken" foram consideradas para aquele trabalho, mas por várias razões, acabaram excluídas, como explicou Page: "Eu sempre amei algo sobre cada uma daquelas canções, mas nós nunca conseguimos nos convencer ao mesmo tempo, e por isso acabaram ficando de lado".


Sobre as gravações, Page disse: "Os garotos têm estado ocupados enviando arquivos de áudio uns para os outros, já que vivem em locais diferentes no país. Tem sido interessante gravar dessa maneira, nos comunicando via internet ao contrário de estarmos todos reunidos no estúdio. Mas parece que está funcionando bem".

As regravações contam com as ilustres presenças do renomado guitarrista Tim Pierce e do legendário percussionista Luis Conte.

Ainda, o letrista John Lang (que escreveu material para todos os álbuns do Mr. Mister) também participa do projeto.

Ainda não há data oficial de lançamento dessas canções.

sexta-feira, 2 de novembro de 2018

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Quando se fala o nome da Suécia em qualquer roda onde o assunto seja música, imediatamente se cria uma ligação com AOR, Melodic Rock ou metal, mas o país tem muito mais a oferecer e a Black Paisley é prova disso. A banda debutou no universo dos bons sons no ano passado com um álbum bem bacana e agora retornam com "Perennials", trabalho que consolida a sonoridade da banda, que mescla elementos de rock clássico, hard rock e country contemporâneo com resultados surpreendentes. Se você ainda não está familiarizado com os bons sons da banda, prepare-se para uma bela surpresa.

O álbum tem uma série de canções excelentes e que apresentam variedade sem perder a coesão, como se percebe logo no início com o massacrante rocker "I Want Your Soul", com o espetacular mid-pacer "Day By Day" e com a baladaça "Sometimes" e sua base de piano. Em três canções, a banda mostra sua versatilidade e, principalmente, dá doses cavalares de bom gosto em doses encapsuladas em 4 minutos, quase sempre. Três destaques do álbum e que merecem volume máximo e sua total atenção em múltiplas audições.

"Mother" traz peso com um baixo em primeiro plano e bateria no estilo bate-estaca, enquanto "Miss Me" é um mid-pacer maravilhoso, com linha de baixo e guitarra elegante e arranjo envolvente naquela que, pessoalmente, é o grande destaque do álbum. Já "Without You" é outra balada "daquelas", mas bastante diferente da anterior e com arranjo mais intimista, o que explica minha predileção por ela. Mais três canções excelentes, merecedoras daquelas múltiplas audições e volume máximo.

Outro rocker bacana é "Step Back", com guitarras na linha frente e bateria crescente ao longo dos versos, mas confesso que acho cansativa sua linha no refrão. Com arranjo mais simples e bluesy (apesar do andamento), "Trying" (mais um destaque do álbum) faz bonito sem esforço, assim como a imponente "Out Of My Life" (outro destaque) com seus teclados discretos e arranjo envolvente, pontuado por backing vocals bem colocados.

Na reta final merece destaque a ótima "Alone" e seu arranjo contemporâneo (especialmente nos backing vocals) e a malemolente "Think", onde a bateria rouba a cena com suas variações de andamento entre versos e refrão. "Stronger" é uma balada melancólica no estilo piano e voz que fecha o álbum de maneira triste. Uma canção bacana que funcionaria melhor como b-side, na minha opinião. Enfim, ouçam e tirem suas próprias conclusões.

Black Paisley, circa 2018: Emanuelsson, Blomqvist,
Kerslow, Hedin e Wirensjö
Em resumo, caríssimas e caríssimos, se você anda cansado da previsibilidade que o material emanado da Suécia costuma causar, a Black Paisley (cujo nome veio da linha de guitarras de Richie Sambora) é uma revigorante surpresa. Com canções muito bem construídas e um vocal perfeito para o estilo (cujo tom lembra, muitas vezes, o de Eddie Vedder, do Pearl Jam), "Perennials" resgata o aspecto orgânico que tanta faz falta nos álbuns que costumamos ouvir. Também vale destacar a excelente produção de Hedin e Wiresnjö, equilibrada e enxuta, permitindo que brilhem os melhores elementos de cada canção. Por tudo isso, é fácil apontar "Perennials" como uma das melhores surpresas do ano e uma recomendada aquisição para sua coleção...

BLACK PAISLEY - Perennials
Released on Sept. 27th, 2018 via Black Paisley AB
Cat. #Paisley003

Tracklist
01 I Want Your Soul (assista ao vídeo aqui)
02 Day By Day
03 Sometimes
04 Mother
05 Miss Me
06 Without You
07 Step Back
08 Trying
09 Out Of My Life
10 Alone
11 Think
12 Stronger

Lineup
Stefan Blomqvist: vocals, guitars
Jan Emanuelsson: bass
Mikael Kerslow: drums, percussion
Ulf Hedin: guitars, vocals
Robert Wirensjö: keyboards, vocals

Guest Musicians
Helena Rydh: backing vocals on tracks 1/2/4/5/6/8912
Mikael Hujanen: backing vocals on tracks 3/7/10/11

quinta-feira, 1 de novembro de 2018

STRYPER ANUNCIA NOVIDADES PARA 2019

Stryper durante o Monsters Of Rock Cruise, em 2017
Michael Sweet revelou em recente entrevista ao pessoal do Sleaze Roxx que o Stryper lançará um álbum em 2019. O vocalista também tem panos de lançar mais um trabalho solo, quer seria o sucessor de "One Sided War", de 2016.

Além disso, o Stryper está trabalhando em outro álbum de covers, desta vez contando com canções de bandas que os ajudaram a moldar sua identidade musical.

"Nós temos algumas ideias para o sucessor de 'The Covering'. Eu gostaria de gravar mais Judas Priest e mais uma canção do Boston, mais uma do Iron Maiden, algo do Thin Lizzy e talvez alguma coisa do Styx. Eu gostaria de gravar também algo do Y&T. E eu adoraria gravar algo do David Bowie", disse Sweet.

Ainda, Sweet revelou que a banda lançará um álbum de regravações de material autoral que apareceu nos primeiros álbuns do Stryper. "Somos aquele tipo de banda que faz esse tipo de coisa, mas é uma questão de tempo até que efetivamente a façamos. Eu adoraria gravar canções mais clássicas com o Perry Richardson tocando. É tudo uma questão de acharmos tempo para isso, mas temos que gravar outro álbum de covers e regravar um também, com material de 'In God We Trust' e umas coisas de 'Against The Law' e talvez até uma coisa ou outra de 'Reborn' e 'Murder By Pride'".

quarta-feira, 31 de outubro de 2018

ERIC MARTIN E SEU PRÓXIMO ÁLBUM SOLO

Eric Martin em ação, circa 2017
Pois é, enquanto a estrada parece estar chegando ao fim para o Mr. Big, o excelente Eric Martin vai costurando sua carreira solo.

Em entrevista concedida ao pessoal do "Friday NI Rocks", o vocalista foi questionado sobre a possibilidade de um novo trabalho solo surgir. Martin respondeu: "Ah cara, eu venho ameaçando fazer isso há anos! Eu não sei! Eu tenho trabalhado com um amigo meu, Joel Hoekstra, o guitarrista do Whitesnake. Eu escrevi umas duas canções e ele escreveu várias e escrevemos algumas juntos. Eu gostaria de gravar esse álbum de rock, mas não sei. Estou me divertindo muito com essa coisa acústica, a 'americana', a vibe do blues britânico... eu não sei. Eu amo compôr rockers, mas posso fazer isso om o Mr. Big. Eu não lanço um álbum solo há mais de 13 anos mas tenho certeza que farei alguma coisa depois do Mr. Big".

Martin ainda falou sobre quem gostaria de ter no álbum: "Eu adoraria me reunir com Richie Kotzen. Sinto falta de tocar com aquele cara. Quando ele estava na banda por uns dois anos nós definitivamente tínhamos química e eu adoraria escrever canções com ele e tê-lo comigo para cantarmos juntos. E porque não trazer Billy Sheehan e Paul Gilbert - eu adoraria tocar com eles, mas desde que eu tenha o controle (risos). Mas já que estamos falando nisso, quem quiser vir e escrever canções comigo e acham que podem fazê-lo, estou procurando profissionais".

Alguém se habilita?

H.E.A.T. PREPARA COLETÂNEA EXCLUSIVA PARA O JAPÃO

Os suecos do H.E.A.T., circa 2017
Enquanto a banda prepara seu CD/DVD ao vivo para o próximo ano, o H.E.A.T. e sua gravadora japonesa lançarão essa coletânea dupla exclusiva para a terra do Godzilla, no dia 19 de Dezembro

O tracklist foi todo selecionado com o público japonês em mente (essa informação consta do press release) e inclui material inédito, raro, demos, versões exclusivas e também gravações ao vivo.

A ordem das canções do disco 1 não está definida, mas serão as seguintes:

* There For You
* Late Night Lady
* Straight To Your Heart
* 1000 Miles
* Beg Beg Beg
* We're Gonna Make It To The End
* Breaking The Silence
* Living On The Run
* Falling Down
* In And Out Of Trouble
* Point Of No Return
* A Shot At Redemption
* Inferno
* Tearing Down The Walls
* Time On Our Side
* Best Of Broken
* Eye Of The Storm
* Blind Leads The Blind

Já o disco 2 deverá incluir as seguintes canções:

* Drink Alone
* Tearing Down The Walls (Live)
* Living On The Run (Radio Edit)
* Smile For The Camera (Unreleased)
* We're Gonna Make It To The End (Unreleased Acoustic Version)
* In And Out Of Trouble (Unreleased Demo)
* Redefined (Unreleased Acoustic Version)
* Point Of No Return (Unreleased Acoustic Version) 

Vamos aguardar... 

LOU GRAMM FALA SOBRE A ATUAL TOUR DO FOREIGNER COM DUAS FORMAÇÕES

Lou Gramm em ação com o Foreigner, circa 2018 Em entrevista concedida a KTLA, o grande Lou Gramm falou sobre a sua participação na tou...