RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Posted: sexta-feira, 26 de agosto de 2016 by Juba.San in
0

Na segunda metade da década de 80, o grande Steve Jones já era nome mais que reconhecido no cenário musical, graças a seus trabalhos com os malucos Sex Pistols, mas não somente. Jones participou de uma série quase infindável de álbuns e projetos até que, em 1986, começou a trabalhar naquele que seria seu primeiro álbum solo.

A canção escolhida para promovê-lo foi "Mercy", faixa que acabou incluída no segundo volume da trilha sonora do seriado "Miami Vice". A escolha foi certeira e revelou um lado do guitarrista que, até então, parecia ser inexistente.

"Mercy" (assista ao vídeo aqui) é um rocker bem cadenciado, embalado por uma base intermitente de baixo e que conta com uma guitarra malemolente que envolve o ouvinte. Com teclados ocasionais e muito bem distribuídos que se fazem mais evidentes no refrão grudento e preguiçoso. Ainda, essa canção conta com métrica e andamento bem cortados que privilegiam os vocais quase soturnos de Jones. Um belíssimo conjunto que merece múltiplas audições e volume máximo, se for possível.

Steve Jones, circa 1987
"Through The Night" é um rocker mais incisivo, especialmente no quesito guitarras. Com andamento mais dinâmico, essa canção conta com uma linha de baixo envolvente, sempre pontuada por guitarras quase onipresentes. A bateria se revela mais pesada no refrão comedidamente empolgante, que também traz à tona teclados que, até então, participavam da cena de maneira mais discreta. Mais uma dose cavalar de bons sons que merece sua total e recorrente atenção.

Em resumo, caríssimas e caríssimos, "Mercy" é um cartão de visitas para o mundo solo de Steve Jones. Não há como negar que a sonoridade apresentada em seu álbum de estréia surpreendeu todos, tendo ficado muito distante de qualquer coisa que poderíamos associar a ele naquela época. Jones se revelou um excelente artista solo e lançou dois álbuns bastante diferentes um do outro (a resenha do espetacular "Fire And Gasoline" está aqui), mas deixou uma marca indelével na cena musical do final da década de 80 e, por isso mesmo, esse material é mais que recomendado...

STEVE JONES - Mercy (7" Single)
Released in 1987 via Victor Records Japan
Cat. # VIPX-1866

Tracklist
01 Mercy
02 Through The Night

Musicians
Steve Jones; vocals, guitars, bass
Mickey Curry: drums
Kevin Savigar: keyboards

BOBBY KIMBALL RETOMA CARREIRA SOLO

Posted: quinta-feira, 25 de agosto de 2016 by Juba.San in
0

Bobby Kimball, circa 2012
O legendário Bobby Kimball anunciou o lançamento de "We're Not In Kansas Anymore" para Novembro próximo, via King Records.

O detalhe é que a gravadora é japonesa, o que reforça o boato de que esse trabalho será lançado apenas na terra do Godzilla.

"Quero que vocês saibam que meu novo CD solo será lançado em 06 de Novembro", escreveu Kimball em sua página no Facebook. "Mal posso esperar para que vocês o  ouçam. Foi muito divertido gravá-lo e o trabalho de masterização está indo bem".

De acordo com o press release, o álbum traz AOR, rock, funk e soul, tudo muito balanceado e com arranjos típicos do Toto.

Seu trabalho mais recente é o álbum "Kimball Jamison", gravado em parceria com o grande Jimi Jamison e lançado em 2011. Entretanto, seu mais recente trabalho solo é "All I Ever Neeeded", de 1999.

PAUL STANLEY FALA SOBRE A POSSIBILIDADE DO KISS GRAVAR AINDA MAIS UM ÁLBUM

Posted: quarta-feira, 24 de agosto de 2016 by Juba.San in
0

Paul Stanley na entrega dos Grammy,
em fevereiro último
Em recente entrevista concedida à Scene - de Cleveland - o veterano Paul Stanley foi perguntado sobre um possível novo álbum do Kiss.

Stanley disse: "Álbuns, nesse momento, são algo que, se fizermos, serão feitos para nós e para mais ninguém. O mercado, as vendagens... isso não existe mais. Não existe mais uma indústria da música. É um cara que administrava um bar no ano passado que pode ser presidente de uma gravadora hoje", fuzilou o guitarrista.

E continuou: "Não é mais um grupo de pessoas que ama música. É um bem, hoje em dia.Então, se gravarmos um álbum, será porque achamos que há uma razão para tanto. Houve motivo para 'Sonic Boom' e, certamente, houve razão para 'Monster'. Mas estamos sempre brincando com a possibilidade. Acredito que aconteça. A única coisa que não quero é que o álbum seja uma espécie de filho de 'Sonic Boom' ou de 'Monster', ou mesmo filho de qualquer outro álbum".

Stanley encerrou dizendo não estar interessado em gravar um álbum conceitual. "Mas também não quero requentar os últimos dois álbuns, então tem que ser coisa nova porque, a princípio, as pessoas para quem gravaremos o álbum somos nós mesmos".

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Posted: sexta-feira, 19 de agosto de 2016 by Juba.San in
0

Em meados da década de 80, o britânico Peter Frampton já era nome reconhecido no universo dos bons sons graças a uma série implacável de hits. E na época em que os sintetizadores e baterias eletrônicas eram quase que onipresentes, Frampton resolveu incluir o uso dos equipamentos no álbum "Premonition", que gerou o single "Lying". Os fãs mais xiitas torceram o nariz (e ainda torcem), mas para o azar deles, perderam - ou ignoraram - um belíssimo trabalho, mostrou mais da então já conhecida versatilidade de Frampton.


A ótima "Lying" (assista ao vídeo aqui) é um rocker bem cadenciado e repleto de sintetizadores, mas sem nunca esquecer as guitarras. O baixo intermitente (também tocado por Frampton) me agrada bastante, assim como as inserções do teclado. Ainda, o refrão é marcante e traz variações recorrentes nos trabalhos de Frampton. E não pode esquecer do belo solo de guitarra, limpo e direto, envolvente e contagiante como somente os grandes músicos sabem executar. Essa canção contém todas as estruturas melódicas que caracterizam os bons sons de Peter Frampton e, assim sendo, recomendo volume máximo e janelas abertas.

Ah, um adendo: no vídeo podemos ver o renomado baixista Tony Levin, que tocou em quase todo o álbum "Premonition", mas não em "Lying".

Peter Frampton em ação, circa 1986
"You Know So Well" conta com menos sintetizadores e com o baixo em maior evidência. Os licks da guitarra são precisos e muito bem distribuídos dentro de um arranjo bem construído e que conta com um solo excelente, especialmente ao final da canção. O andamento mais dinâmico também surge como fator positivo e a interpretação bem cuidada de Frampton não passa batida. Outra bela canção que merece sua total atenção.

Em resumo, caríssimas e caríssimos, "Lying" é um belo momento na discografia de Peter Frampton, apesar das críticas da ala mais conservadora da sua base de fãs. Com elementos (na época) novos introduzidos em um contexto antes dominado amplamente pelas guitarras, "Lying" revelou não apenas uma nova sonoridade para Frampton, mas também apontou um caminho pelo qual ele bem poderia ter seguido. Mas por mais breve que tenha sido sua incursão pelo setor dos recursos eletrônicos na década de 80, Peter Frampton deixou sua marca com trabalhos de qualidade, como sempre costuma fazer. Por isso tudo, "Lying"  é material mais que recomendado...

PETER FRAMPTON - Lying (7" Single)
Released in 1986 via Virgin Records Ltd.
Cat. # VS 827

Tracklist
01 Lying
02 You Know So Well

Lineup
Peter Frampton: vocals, guitars, bass, synthesizers
Tony Levin: bass
Steve Ferrone: drums
Richard Cottle: keyboards
Chuck Kirkpatrick: backing vocals
Johnne Sambataro: backing vocals

ROUGH CUTT REÚNE LINEUP ORIGINAL

Posted: quinta-feira, 18 de agosto de 2016 by Juba.San in
0

Os veteranos do Rough Cutt, em versão 2016
Paul Shortino fez o anúncio: o lineup original do Rough Cutt fará uma apresentação nos Estados Unidos no próximo mês.

O evento é a pre-party do Monsters Of Rock Cruise e acontecerá em Los Angeles, no dia 30 de Setembro, onde os guitarristas Amir Derakh e Chris Hager se apresentarão ao lado do baterista Dave Alford e do baixista Matt Thorr, além de Paul Shortino, obviamente.

Sobre a reunião, Shortino escreveu em sua página no Facebook: "Eu me sinto ótimo por poder tocar novamente com a formação original do Rough Cutt. Tivemos alguns momentos realmente mágicos! E estamos voltando a tocar! Pedimos aos fãs o que eles queriam ouvir e isso é o que estamos fazendo!"

A julgar pela declaração de Shortino, mais shows podem ser anunciados em breve, mas não há nenhuma notícia a respeito de novas datas e muito menos de um retorno da banda à ativa.

FAIR WARNING REVISITA PARTE DE SEU CATÁLOGO PARA NOVO ÁLBUM

Posted: quarta-feira, 17 de agosto de 2016 by Juba.San in
0

Fair Warning volta ao cenário depois de três anos
Entre 1992 e 1997, os alemães do Fair Warning lançaram três de seus mais relevantes trabalhos: "Fair Warning", "Rainmaker" e "Go!". Essa tríade representa, de maneira inequívoca, a sonoridade de uma das mais bem sucedidas bandas da terra do chucrute.

E são daqueles três álbuns que é composto o tracklist de "Pimp Your Past", trabalho que chegará às lojas em 28 de Outubro, trazendo releituras de algumas das mais conhecidas canções dos alemães.

Sobre o novo trabalho, o baixista Ule Ritgen disse: "Quando nossa gravadora japonesa nos contatou com a ideia para um álbum nesse formato ficamos um pouco céticos. Mas quando nos convencemos em não apenas regravar o material, mas sim criar novos arranjos para ele, o projeto ganhou força e fomos contagiados por uma vontade de explorar as possibilidades. Especialmente porque as novas gravações soam energizantes e são animadamente diferentes, enquanto sua essência permaneceu intocada".

O tracklist do álbum inclui as seguintes canções: 

01 Longing For Love
02 One Step Closer
03 Out On The Run
04 When Love Fails
05 Long Gone
06 Burning Heart
07 Picture Of Love
08 Angels Of Heaven
09 Rain Song
10 Save Me
11 Don't Give Up

Bem, esse tipo de álbum não me agrada de maneira nenhuma. De maneira geral, vejo esse tipo de coisa como material feito para cumprir contrato e, assim sendo, a qualidade costuma ficar longe do recomendado. Mas é fato que o mercado japonês absorve quase qualquer coisa e como o pedido veio de lá, isso significa grana boa. Um trabalho de material inédito seria mais interessante, mas pelo jeito, o requentado com novo tempero é o que temos para o momento.

ESPECTADOR MORRE TRAGICAMENTE DURANTE SHOW DA LYNCH MOB

Posted: segunda-feira, 15 de agosto de 2016 by Juba.San in
0

Os veteranos George Lynch e Oni Logan
Durante o show que a Lynch Mob fez no último 13 de Agosto em Savage, no estado de  Minnesota, um espectador sofreu um ataque cardíaco fulminante e faleceu.

Diante do ocorrido, Oni Logan e George Lynch decidiram suspender o concerto em respeito ao falecido, que mais tarde foi identificado como um integrante da banda Emperors And Elephants, que havia feito o show de abertura minutos antes.

"Em nome da Lynch Mob, nossas orações estão com a família Jeff Windisch, amigos e banda Emperors And Elefants. Jeff morreu de parada cardíaca ontem à noite durante nosso set. Ele abriu o show para nós e arrebentou tudo!", dizia parte da nota emitida pela Lynch Mob.







RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Posted: sexta-feira, 12 de agosto de 2016 by Juba.San in
0

Em 1990, os norte-americanos do Warrant já eram artistas estabelecidos no (então) disputado mercado hard rock da terra do Tio Sam. Com seu primeiro álbum absurdamente bem sucedido, a banda precisava de material muito consistente para, no mínimo, igualar os número estabelecidos pelo ótimo "Dirty Rotten Filthy Stinking Rich". A canção escolhida para promover o segundo trabalho do Warrant foi a safadona "Cherry Pie", um rocker arrasador que causou controvérsia e sucesso na mesma medida.

Acredite, "Cherry Pie" quase acabou fora do álbum por causa de seu conteúdo extremamente sexual. Jani Lane queria uma canção na linha da excelente "Love In An Elevator" - do Aerosmith - e escreveu a sua em 15 minutos em uma caixa de pizza, que hoje está exposta no Hard Rock Café de Destin, na Flórida. A partir do momento em que a banda decidiu incluir a canção no álbum (que seria chamado "Quality You Can Taste" ou "Uncle Tom's Cabin"), todo o marketing mudou. Certamente você lembra do vídeo (assista aqui) e da deliciante modelo Bobby Brown (que casaria com Lane em 1991). Mas há que se falar desse rocker que se tornou um dos maiores sucessos do Warrant, com uma base prominente de baixo, entrecortada por guitarras precisamente distribuídas. O arranjo é bastante simples e conta com um refrão igualmente despojado, envolto em backing vocals excelentes.

Atingindo a posição #10 no Billboard Hot 100 e #19 no Billboard Top Tracks, essa canção teve seu vídeo banido da rede canadense MuchMusic, sob a alegação de que era "sexualmente ofensivo". Seja como for, "Cherry Pie" é canção absolutamente obrigatória nos shows da banda até hoje.

Warrant, circa 1990: Sweet, Dixon, Lane, Turner e Allen
"Thin Disguise" é um rocker arrasador, com guitarras na linha de frente que se alternam entre as acústicas, ao longo do primeiro verso e terceiro versos, e as elétricas, no segundo, no quarto e até o fim da canção. O refrão tem linha melódica e arranjo vocal característicos da banda e, sinceramente, não entendo como essa canção ficou de fora da versão internacional final do álbum, já que "Thin Disguise" está disponível apenas na edição japonesa de "Cherry Pie". Uma verdadeira pancada que merece sua atenção e aquele tradicional volume máximo.

A opção por resenhar esse single tem motivo: ontem foi o quinto aniversário do trágico falecimento de Jani Lane, um dos melhores vocalistas/compositores de sua geração. E entre as tantas excelentes canções que escreveu, é inegável que "Cherry Pie" se destaca, apesar da banda reconhecer que ela não é uma das melhores canções do Warrant e que seu sucesso avassalador acabou atropelando material mais relevante, na opinião deles. Seja como for, o single de "Cherry Pie" não vale apenas pela faixa-título, mas especialmente pela canção inédita, um rocker que teria agregado ainda mais brilho a um álbum quase perfeito. Material mais que recomendado e que merece um ligar na sua coleção...

WARRANT - Cherry Pie Promo CDS (Japan Edition)
Released on Sep. 06th 1990, via CBS/Sony
Cat.# CSDS 8170

Tracklist
01 Cherry Pie
02 Thin Disguise

Lineup
Jani Lane: vocals
Erik Turner: guitars, backing vocals
Joey Allen: guitars, backing vocals
Jerry Dixon: bass, backing vocals
Steven Sweet: drums, percussion, backing vocals

ANGEL PODE VOLTAR À ATIVA

Posted: quinta-feira, 11 de agosto de 2016 by Juba.San in
0

Angel, em meados da década de 70
Frank DiMino - ex-vocalista do Angel - confirmou seus planos para tentar reunir o lendário grupo para uma série de concertos.

Após o guitarrista Punky Meadows dizer que a banda agora pertencia ao passado e que seria inútil para voltar a tocar juntos, se não para dois ou três shows, DiMino comentou: "Concordo plenamente com isso. Nós não quero trazer a banda de volta para uma tour completa, mas há vontade de fazer alguns shows. Se isso acontecer, será apenas em um lugar, possivelmente nos Estados Unidos, embora - se rentável - nós gostaríamos de tocar na Europa, talvez em um festival".

Tudo começou em maio, quando o vocalista e Punky Meadows, Gregg Giuffria, Felix Robinson e Barry Brandt - receberam o prêmio Vegas! Hair metal Awards, em evento que reuniu no palco pela primeira vez, em 35 anos, os integrantes remanescentes da formação (baixista original Mickie Jones faleceu em 2009).

"Gregg estava indo para jogar no meu disco solo, mas infelizmente não foi o momento certo", revelou, em seguida, DiMino. "No entanto, mesmo se todos os cinco de nós éramos amigos, foi surreal para estar de volta em um quarto juntos depois de todos esses anos. Não demorou muito embora para voltar para nossos papéis ... ".

BREAKING NEWS

Posted: segunda-feira, 8 de agosto de 2016 by Juba.San in
0

* O histórico show do canadense Bryan Adams no Wembley Stadium, em 1996, será finalmente lançado em DVD, ainda neste ano;

* O guitarrista Erik Turner revelou que o Warrant entrará em estúdio em Outubro para começar a trabalhar no álbum que sucederá "Rockaholic", lançado há cinco anos;

* E Tony Harnell postou mensagem em seu Facebook dando a entender que um novo álbum e nova tour do TNT podem chegar em 2017.