sexta-feira, 2 de outubro de 2015

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

O excepcional Fergie Frederiksen e o excelente Ricky Phillips já haviam trabalhado juntos em 1981, na última incarnação da Angel, banda de um tal Gregg Giuffria. Depois disso, ambos seguiram caminhos diferentes, participando de grandes bandas como Toto e Bad English. Mas quiseram os deuses dos bons sons que a dupla se reencontrasse na década de 90. 

Compondo juntos (e contando com algumas colaborações), criaram uma série de canções espetaculares para um álbum simplesmente arrasador, passando longe do óbvio e repleto de grandes nomes. Assim surgiu o projeto Frederiksen/Phillips que, infelizmente, lançou apenas um trabalho, mas foi o suficiente para deixar uma marca indelével no universo dos bons sons.

O álbum tem uma variedade de rockers excepcionais, como "Shot Down" (com um arranjo de metais simplesmente maravilhoso), "Oh Diane" (com arranjo que alterna versos lentos com refrão dinâmico, carregado de guitarras), "Name Of Love" (que soa absurdamente como Toto) e as radio friendly "How Much Longer" e "Baby Blue Eyes", que são facilmente apontadas como grandes destaques. Mesmo com a variedade melódica entre elas, o nível se mantém alto, com performances arrasadoras de Mr. Frederiksen. Recomendo volume máximo e múltiplas audições de todas as canções citadas.

rockers mais vigorosos e bem bacanas, como "You Must Be A Liar ('Cause You're Unbelievable)" (que me remete aos bons sons do Mr. Big) e "Long Way Around The World", em contraste com material mais elaborado como "Queen Bee" (com uma inegável aura jazzística impressa pelos metais e pela métrica do baixo) e "Do You Love Her", outra canção que me remete ao Toto da década de 90. Essas canções são menos óbvias, mas todas tem muita qualidade e várias nuances que são descobertas a cada nova audição. Recomendo atenção redobrada em cada passagem com aquele volume máximo de sempre.

Fergie Frederiksen e Ricky Phillips, circa '94
Ainda, "Captured" é um mid-pacer pesado e muito bacana, enquanto "Hopelessly Lost" é uma linda balada, com versos delicados e um refrão agressivo, contraste que funciona perfeitamente e que é evidenciado pelos poderosos vocais de Mr. Frederiksen. Múltiplas audições são recomendadas...

Em resumo, nibelungas e nibelungos, o único álbum do projeto Frederiksen/Phillips não é para qualquer um. Digo isso porque o álbum não apresenta muita coesão, musicalmente falando, haja vista a multiplicidade de propostas musicais apresentadas. 

Entretanto, todas elas orbitam o mesmo núcleo e, se não são idênticas, também não podem ser classificadas como absolutamente diferentes. E é essa variação e riqueza de detalhes entre cada canção que faz desse álbum um trabalho que merece atenção e, especialmente, um lugar na sua coleção. Se você não é bitolado e se permite bons sons fora daquela zona de conforto, Frederiksen/Phillips pode lhe surpreender...

FREDERIKSEN/PHILLIPS - Frederiksen/Phillips
Released in 1995 via Brunnette/Alfa Music Inc.
Cat. # ALCB-3095

Tracklist
01 Shot Down
02 Oh Diane
03 How Much Longer
04 Surreder In The Name Of Love
05 You Must Be A Liar ('Cause You're Unbelievable)
06 Baby Blue Eyes
07 Captured
08 Queen Bee
09 Hopelessly Lost
10 Do You Love Her
11 Long Way Around The World

Lineup
Fergie Frederiksen: vocals
Ricky Phillips: bass, additional guitars, additional keyboards, backing vocals

Guest Musicians
Guitars: Tim Pierce, Neal Schon, Steve Farriss, Bruce Gowdy, Michael Tovar, Marcus Nand
Lap steel guitar: Steve Gunner
Theme guitar: Marcus Nand
Drums: Deen Castronovo, Pat Torpey, Alan White, Bobby Blotzer
Keyboards: Guy Allison
Hammond organ: Jesse Harms, Mike Finnigan
Harmonica: Jimmy Z
Saxophone:Steve Grove
Trumpet: Darrell Leonard
Percussion: Brian Kilgore
Harmony vocals: Jason Scheff
Backing vocals: Marcie Free, David Glenn Eisley, Robin MacCauley, Jesse Harms, John Purdell, Aina Olsen, Genelle Sadler, Debbie Porter

Nenhum comentário:

Postar um comentário

KEE OF HEARTS LANÇA PRIMEIRO VÍDEO

Arte do álbum de estréia do Kee Of Hearts Um dos projetos mais interessantes do ano - na minha modesta opinião - é o Kee Of Hearts que ...