sexta-feira, 29 de abril de 2016

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

David A. Saylor é um daqueles vocalistas imediatamente reconhecidos quando sua voz se espalha pelo ambiente. E você já conhece seu nome, desde seu excelente trabalho com a Push U.K., passando pela colaboração com os gregos da Wild Rose e também por seus ótimos trabalhos solo. O mais novo deles, inclusive, chegará às lojas em Maio com o nome de "Ship To Nowhere". Mantendo aquela aura 80's radio friendly, mas sem negligenciar aspectos da sonoridade mais contemporânea, David Saylor se equilibra bem entre os dois universos, mesclando elementos de ambos com perfeição. Se essa é a sua praia, prepare-se para uma excelente surpresa...

Após a introdução instrumental "Tempest", o mid-pacer "Ship To Nowhere" abre caminho com uma linha de baixo em primeiro plano, em uma base acompanhada de perto pelas guitarras e pontuada por teclados ocasionais que conduzem o ouvinte a um refrão marcante, em um dos melhores momentos do álbum. O rocker "We Won't Sacrifice" traz uma envolvente linha contínua de guitarra, criando uma base sólida por onde Mr. Saylor desfila seus poderosos vocais na ilustre companhia de Phil Bates, da legendária banda Atlantic. Essa é uma daquelas canções que poderia ter figurado em qualquer trilha sonora lançada nos anos 80, o que faz com ela seja facilmente apontada como mais um destaque do álbum, assim como "Open Door", rocker que coloca o baixo novamente na linha de frente, além de dar mais destaque aos teclados. As guitarras assumem um papel quase coadjuvante na primeira parte da canção, mas tem presença mais marcante após o refrão (excelente, por sinal). Cada uma dessas canções merece múltiplas audições e janelas abertas, se o frio permitir...

A envolvente "Blood In My Veins" é um mid-pacer bem cadenciado, onde o baixo e a guitarra dividem a linha frente, que se vê pontuada por teclados ocasionais e backing vocals providenciais, O refrão é marcante e envolvente, o que por si só já justifica as múltiplas audições que essa canção merece. Já "Make It Right"  é um rocker mais dinâmico, com versos suaves que apontam para um refrão absolutamente envolvente, em mais um grande momento do álbum, fato que se repete na excelente "Hearts On Fire", rocker construído ao redor de guitarras simples, assim como seu arranjo absolutamente eficaz, tanto quanto o refrão que é, sem dúvida, um dos melhores do álbum. Múltiplas audições são mais que recomendadas para essa canção, o que serve perfeitamente para "Pray For Time", balada mais pesada, centrada em guitarras e que conta com ótimo refrão.

David A. Saylor, circa 2016
O rocker "Have It All" é outro grande destaque do álbum, retratando a ponte entre o clássico e o atual no contraste apresentado entre os versos e o refrão que, inclusive, é o melhor do álbum. Uma belíssima canção que merece toda a sua atenção, assim como o rocker "Can't Break Away From You" e com a fiel releitura para "Missing You", clássico de John Waite originalmente lançada em 1984.

Em resumo, caríssimas e caríssimos, "Ship To Nowhere" traz David A. Saylor fazendo o que faz de melhor: AOR fortemente influenciado pela década de 80, mesclado com elementos mais contemporâneos, buscando uma sonoridade que se coloque entre os dois extremos. Apresentando a mesma proposta de seus trabalhos anteriores, Saylor não apresenta nenhuma novidade, mas também não corre riscos desnecessários se aventurando em macaquices musicais. Se você curte os álbuns que integram a discografia de David A. Saylor, tenha certeza que "Ship To Nowhere" não vai lhe decepcionar.

DAVID A. SAYLOR - Ship To Nowhere
To be released on May 2016, via AOR Blvd. Records
Cat. # not available

Tracklist
01 Tempest (Instrumental)
02 Ship To Nowhere
03 We Won't Sacrifice (With Phil Bates)
04 Open Door
05 Blood In My Veins
06 Make It Right
07 Hearts On Fire
08 Pray For Time
09 Have It All
10 Don't Go
11 Can't Break Away From You (Bonus Track)
12 Missing You (A tribute to Dina Saylor) (Bonus Track)

Musicians
David A. Saylor: vocals, guitars
Paul Pryor: bass
Rob Hewins: drums

Guest musicians
Brett Hammond: guitars
Ray Hatfield: guitars
Jon Dewbury: keyboards on "Can't Break Away From You"
Erika Jones: backing vocals
Cristian Antonio: backing vocals
Romani May: backing vocals

Um comentário:

adriana disse...

This album is a killer with great production, great songs. Ballads are just to die for. I keep listening to this album over and over again. What can I say but David is the KING of AOR.

I hope he continues making albums in the 80's format.

Thanks Juliano and I agree on your review about this album.

Postar um comentário

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Três anos depois de despontar como uma força a ser reconhecida no universo dos bons sons, o Tyketto dava sequência a sua carreira com &q...