sexta-feira, 6 de maio de 2016

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Integrante fundador do Danger Danger, Ted Poley tem um currículo que não se resume à banda de New York. Tendo participado de inúmeros projetos - como a Bone Machine, Melodica, Poley Rivera e Poley Pichler, entre muitos outros - o vocalista se lançou em carreira solo há apenas uma década. Agora, depois de um hiato de sete anos, ele retorna ao cenário com "Beyond The Fade", trabalho que mantém a sonoridade característica de seus álbuns solo anteriores, mas já envolvida por elementos contemporâneos. E o resultado é excelente...

De início, o rocker "Let's Start Something" apresenta o selo "radio friendly AOR" de qualidade em uma canção centrada em guitarras na linha de frente, com baixo e bateria explosivos e teclados ocasionais espalhados pelo arranjo de estrutura simples, mas muito eficaz. O refrão é marcante - como deve ser -  e completa magistralmente essa canção que, desde já, é apontada como um dos destaques do álbum, assim como "Everyhting We Are", outro radio friendly AOR arrasador e que apresenta b-sections e refrão matadores, inseridos em um arranjo onde os teclados e os backing vocals tem mais espaço. E, de maneira geral, "Hands Of Love" segue a mesma linha das canções anteriores, mas com uma saudável dose extra de peso (cortesia do baixo em primeiro plano), no primeiro momento em que imagino o Danger Danger em ação. Enfim, são três pancadas sonoras dignas do volume máximo que você possa dispensar à elas, pode acreditar.

O excelente mid-pacer "The Perfect Crime" traz Poley em um dueto com Issa Overseen, que mostra o quanto o seu vocal pode ser enjoativo. Em mais uma ótima canção que remete ao Danger Danger, me parece claro que Poley deveria ou ter gravado a canção sozinho ou buscado alguém com mais garganta. Mas sabemos que esse dueto é coisa da gravadora, então esse deslize fica na conta da Frontiers. Já "Stars" é um rocker envolvente e 100% "Ted Poley solo", onde elementos do melodic rock mais tradicional se misturam perfeitamente com uma estrutura mais atual, onde Poley entrega uma de suas melhores interpretações em um dos melhores momentos do álbum, fato que se repete na excelente "Higher", outro rocker cavalar que remete à discografia solo de Poley de maneira inequívoca. Outro grande momento do álbum e merecedor de sua total atenção e daquele tradicional volume máximo.

O veterano Ted Poley, circa 2016
Com a sonoridade absolutamente contemporânea, "Where I Lost You" é um rocker cativante e grudento, enquanto "You Won't See Me Cryin'" é mais um rocker matador e que poderia muito bem ter sido gravado pelo Danger Danger, exatamente como "We Are Young", mid-pacer arregaçante com baixo em primeiro plano e um refrão absolutamente explosivo. E assim temos mais dois grandes destaques do álbum, merecedores de tudo aquilo que você está careca de saber. E com uma veia mais moderna, o ótimo rocker "Sirens" e a monstruosa power ballad "Beneath The Stars" fecham o álbum em grande estilo, sem deixar que nenhuma canção passe indiferente.

Com isso, caríssimas e caríssimos, posso afirmar que "Beneath The Fade" é o melhor e mais coeso trabalho solo de Ted Poley. Não apenas isso, as canções estão mais cuidadas e a produção é a melhor entre todos os seus álbuns. O elo fraco nessa corrente é Issa Overseen, que com uma interpretação preguiçosa arranhou uma das melhores canções do álbum, mas o ferimento não foi fatal. Ted Poley retoma sua carreira com um belíssimo álbum que, se não impressiona pela inovação, também não decepciona pelo risco desnecessário.

TED POLEY - Beyond The Fade
To be released on May 13th, via Frontiers Records
Cat. # FR CD 734

Tracklist
01 Let's Start Something
02 Everything We Are
03 Hands Of Love
04 The Perfect Crime (Duet with Issa Overseen)
05 Stars
06 Higher
07 Where I Lost You
08 You Won't See Me Cryin'
09 We Are Young
10 Sirens
11 Beneath The Stars

Lineup
Ted Poley: vocals
Alessandro Del Vecchio: drums, keyboards, backing vocals
Anna Portalupi: bass
Mario Percudani: guitars

Nenhum comentário:

Postar um comentário

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Três anos depois de despontar como uma força a ser reconhecida no universo dos bons sons, o Tyketto dava sequência a sua carreira com &q...