sexta-feira, 22 de julho de 2016

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Na semana passada eu recomendei "Simple Man", um dos singles mais bacanas dos australianos do Noiseworks. O que eu não poderia imaginar foi a enxurrada de mensagens elogiando o som dos caras, desconhecidos para muita gente. E junto com vários comentários haviam pedidos para que se mostrasse mais da banda, e com isso em mente, lhes trago "Take Me Back", o segundo single a promover o álbum de estréia do Noiseworks.

Com uma combinação matadora de guitarras e teclados, "Take Me Back" (assista ao vídeo aqui) é um rocker empolgante, com métrica bastante tradicional e andamento cadenciado pela bateria e por uma discretíssima linha de baixo. Os teclados são onipresentes sem invadir o espaço dos outros instrumentos, mas tudo é suplantando pelos arrasadores vocais de Jon Stevens. Em mais uma performance irretocável, ele mostra porque se tornou um dos melhores vocalistas que Nova Zelândia já produziu, tão verdade que, entre 2000 e 2003, ele foi o frontman do INXS

E sim, Stevens é neo-zelandês e só mudou-se para a Austrália depois de fazer certo sucesso em seu país, ainda na década de 70. Voltando à canção, "Take Me Back" é um dos pouquíssimos registros do Noiseworks que conta com a assinatura de um colaborador externo, no caso, Brent Thomas, que já tinha em seu currículo composições com outros grandes nomes do rock australiano, como John Farnham, Jimmy Barnes e Sharon O'Neill. Seja como for, "Take Me Back" é um clássico do Noiseworks e merece sua total atenção, o máximo volume possível e janelas abertas.

"Don't Wait" é um rocker com andamento levemente mais dinâmico que a canção anterior, onde o baixo ganha destaque na linha de frente, juntamente com uma base suave de teclados. Com versos mais curtos e arranjo mais intimista, essa canção segue uma linha bastante diversa do material mais conhecido da banda, mas que é recorrente em seus álbuns. Não acho que merecia um lugar no tracklist do álbum de estréia da banda, mas não é uma canção a ser ignorada. Aos poucos, ela te conquista e, antes que você perceba, já está cantarolando as poucas linhas que contém.

Noiseworks, circa '87: Fraser, Stanley, Stevens, Nicol e Balbi
Em resumo, caríssimas e caríssimos, "Take Me Back" é, sem dúvida, um dos grandes clássicos do Noiseworks. Uma canção que nem a banda e nem Jon Stevens podem deixar de tocar em suas apresentações. A sonoridade 80's é predominante (como não poderia deixar de ser), mas de alguma maneira, essa canção ainda soa atual e se encaixa perfeitamente em meio ao revival que o mercado acolheu tão safadamente bem. 

Se você é um dos que ainda não está familiarizado com os excelentes sons do Noiseworks, talvez "Take Me Back" lhe convença a dar uma chance aos australianos. Posso afirmar categoricamente que poucas bandas da terra dos cangurus eram tão eficientes e tinham tanta qualidade. Material mais que recomendado...

NOISEWORKS - Take Me Back (7" Single)
Released in 1987 via CBS Records Pty.
Cat. # 650775 7

Tracklist
01 Take Me Back
02 Don't Wait

Lineup
Jon Stevens: vocals
Stuart Fraser: guitars, backing vocals
Justin Stanley: keyboards, backing vocals
Steve Balbi: bass, backing vocals
Kevin Nicol: drums

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO

Caríssimas e caríssimos Hoje me dirijo à São Paulo para o show dos irlandeses do U2. Com isso, a Recomendação Da Semana não será...