sexta-feira, 8 de julho de 2016

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Um dos mais respeitados nomes do cenário rocker britânico, Jim Capaldi é sempre lembrado como um dos ex-integrantes do Traffic, mas a verdade é que o baterista e vocalista tinha muito mais talento do que se notava, e prova disso é sua carreira solo, repleta de álbuns bem bacanas. E entre eles destaco "Some Come Running", um maravilhoso trabalho que flutua entre o melhor AOR norte-americano e o caprichado AC Rock da década de 80. Buscando uma sonoridade diversa do que costumava praticar, Capaldi cercou-se de grandes amigos para lançar seu álbum mais surpreendente - musicalmente falando - e o meu favorito desde então. Com grandes canções e um time invejável de músicos, Capaldi criou um dos álbuns mais bacanas do final da década de 80, mas que, como tantos outros, acabou passando quase despercebido. Azar de quem não estava prestando atenção...

O excelente mid-pacer "Something So Strong" (assista ao vídeo aqui) abre o álbum e mostra, logo de cara, a nova direção musical que Jim Capaldi experimentava na época. Com uma melodia envolvente e com base no mais tradicional AOR, versos bem construídos, métrica mais que acertada e um refrão matador, essa canção se destaca indubitavelmente. Tão verdade que acabou sendo incluída na trilha sonora do filme "Best Of The Best" e executada em uma sequência chave da trama. Um belíssimo momento do álbum e que merece sua total atenção, assim como a intimista "Love Used To Be A Friend Of Mine", outro mid-pacer caprichado e que remete à fase mid-80's de Rick Springfield, dada sua base hi-tech. Me agrada demais a linha de baixo e os teclados espetacularmente bem distribuídos, elementos que fazem dessa canção mais um destaque do álbum. Com uma proposta mais dinâmica, "Dancing On The Highway" é um rocker esculpido com moldes tradicionais, especialmente guitarras e teclados (sempre bem colocados). A bateria é bastante simples, mas os versos e b-sections revelam mais qualidade, assim como o refrão matador. Mais um destaque do álbum, mais atenção recomendada...

A belíssima balada "Some Come Running" apresenta arranjo envolvente, construído com teclados onipresentes e guitarras ocasionais (ambos cortesia do genial Steve Winwood, com quem tocou no Traffic), além de uma linha de baixo pesada. Mr. Capaldi entrega uma de suas melhores interpretações com essa canção que conta com um refrão emocionante. Sem dúvida, um dos grandes destaques do álbum (se não o maior deles), merecedor de múltiplas audições e de sua total e irrestrita atenção. Outro belo mid-pacer é "Voices In The Night", com baixo e teclados na linha de frente, criando uma sonoridade equilibrada entre a base hi-tech (muito usada em meados da década de 80) e o fator humano, detalhe que se apresenta novamente em "You Are The One", rocker que lembra bons momentos de Michael McDonald circa 1986 e que que conta com a ilustre presença de Eric Clapton. Apesar de contar com um arranjo bacana (mas muito carregado por teclados, na minha opinião), este não é o melhor momento do álbum, mas certamente agradará aos entusiastas dos anos 80.

Jim Capaldi, circa 1988
"Take Me Home" é um radio friendly rocker excelente, com estrutura simples e arranjo mais despojado. Uma vez mais, guitarras (cortesia de Mick Ralphs, da Bad Company) e teclados assumem a linha de frente, mas nunca invadindo o espaço um do outro. Os versos são dinâmicos, com b-sections crescentes  e um refrão explosivo (além do elegante saxofone do veterano Mel Collins), da maneira que o livro sagrado do AOR ensina. Mais um belíssimo momento do álbum e que merece sua total atenção. Finalmente, a linda balada "Oh Lord, Why Lord" fecha o álbum impulsionada pelas guitarras precisas dos legendários Eric Clapton e George Harrison. Me agrada muito a métrica dos versos e a interpretação de Mr. Capaldi, além do arranjo envolvente e do refrão marcante. Mais um grande destaque para fechar o álbum de maneira grandiosa.

Em resumo, caríssimas e caríssimos, "Some Come Running" é mais que um simples álbum. É o registro de um artista que se arriscou além da barreira de sua zona de conforto e que acabou criando um belíssimo trabalho. Jim Capaldi surpreende não apenas pela qualidade vocal, mas principalmente pelas composições que assina nesse trabalho. Esse seria o último trabalho solo de Capaldi por mais de uma década e, infelizmente, o único voltado ao AOR

Intimamente ligado ao Brasil (onde viveu entre 1977 e 1980 e onde conheceu sua esposa), Capaldi faleceu em 28 de Janeiro de 2005, vítima de um câncer no estômago, deixando não apenas uma série de obras sociais, mas também um corpo de trabalho invejável. E dentro desse conjunto de belos álbuns "Some Come Running" (que ganhou uma bela edição remasterizada em 2012)desponta como um registro elegante e consistente da sonoridade AOR/AC Rock do final da década de 80. Material mais que recomendado...

JIM CAPALDI - Some Come Running
Released in 1988 via Island Records/Polystar Co. LTD (Japan)
Cat. #P33D-20086

Tracklist
01 Something So Strong
02 Love Used To Be A Friend Of Mine
03 Dancing On The Highway
04 Some Come Running
05 Voices In The Night
06 You Are The One
07 Take Me Home
08 Oh Lord, Why Lord

Musicians
Jim Capaldi: vocals, drums
Steve Winwood: keyboards, guitars, harmony vocals on "Some Come Running"
George Harrison: guitars on "Oh Lord, Why Lord"
Eric Clapton: guitars on "You Are The One" and "Oh Lord, Why Lord"
Mick Ralphs: guitars on "Take Me Home"
Peter Vale: guitars, bass, keyboards, backing vocals
Mike Mehir: guitars
Chris Parren: keyboards
Miles Waters: guitars, keyboards
Rosco Gee; bass
Mel Collins: saxophone
Phil Capaldi: backing vocals

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO

Caríssimas e caríssimos Hoje me dirijo à São Paulo para o show dos irlandeses do U2. Com isso, a Recomendação Da Semana não será...