sexta-feira, 15 de junho de 2018

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Minha paixão pelo rock australiano não é novidade para ninguém e motivos para tanto não me faltam. Um dos grandes expoentes na terra dos cangurus atende pelo nome de James Reyne, ex-frontman da Australian Crawl entre 1980 1985. Com o fim da banda, Reyne se lançou em carreira solo dois anos depois e se manteve na ativa lançando material inédito até 2012, mas seus trabalhos mais recentes são ao vivo, lançados em 2015. E em sua riquíssima discografia um dos pontos altos é "Electric Digger Dandy", seu terceiro álbum solo e no qual retrata a sonoridade do rock australiano de maneira inequívoca. Tendo colaborações de peso na composições (como Jim Vallance e John Hiatt, entre outros) e músicos veteranos, o álbum permanece com um dos pontos altos na carreira desse nigeriano radicado na Austrália. E os motivos para tanto destaque não são difíceis de perceber.

O álbum abre com "Some People", um rocker frenético com baixo em primeiro plano cuja linha é pontuada por piano e guitarras que aos poucos assumem a linha de frente. O refrão explosivo  e a melodia envolvente pedem volume máximo e múltiplas audições, como de costume. Em seguida surge "Slave", um mid-pacer espetacular cujos versos mais lentos sugerem uma balada, mas as b-sections e o refrão revelam a verdadeira face dessa canção que traz a assinatura de Jim Vallance e, sem dúvida alguma, é um dos grandes momentos na discografia de James Reyne. Baixo, piano e bateria criam a base onde guitarras ocasionais despontam brilhantemente. Em seguida temos a linda versão para "Reckless", clássico da Australian Crawl originalmente gravada em 1983, mas aqui Reyne apresenta uma versão mais trabalhada da canção, com elementos acústicos que conferem uma sonoridade mais orgânica e mais agradável em relação à original. Já "Any Day Above Ground", é um rocker mais cadenciado e bastante envolvente, com base acústica pontuada por guitarras bem colocadas e uma harmonica precisamente distribuída, elementos que, aliados à uma melodia empolgante, acabam por construir uma belíssima canção.

Seguimos com "Take A Giant Step", uma linda balada com arranjo intimista que conta com o baixo sustentando a base por onde teclados e guitarras ocasionais despontam acompanhados pela bateria programada e que conduz a um refrão surpreendentemente envolvente, e esse conjunto de elementos se completa de maneira absoluta. Em "Company Of Strangers" temos um mid-pacer bastante tradicional onde o baixo, uma vez mais, tem destaque, assumindo a ponta e carregando a canção junto com a bateria. Guitarras acústicas e elétricas completam o cenário com maestria e criam um conjunto agradável, característica que se encontra na balada "Black And Blue World" (com seu arranjo mais incisivo e muito eficiente) e também na belíssima "Stood Up", balada acústica originalmente gravada por John Hiatt em 1987. A proposta acústica de Reyne funciona a perfeição e me arrisco dizer que é superior à original.

Na reta final temos a intimista "Outback Woman" (com uma invariável aura de blues, cortesia do co-autor Tony Joe White), seguida pelas lindas baladas "Water, Water" (com arranjo contemplando guitarras cuidadosamente distribuídas ao longo da base criada pelo baixo e bateria programada ao longo dos versos) e "Lay Your Weary Head Down", onde o arranjo com aura folk apresenta um oportuno e bem-vindo contraponto ao que foi mostrado até o momento. Uma bela maneira de encerrar o álbum.

James Reyne, circa 1991
Em resumo, caríssimas e caríssimos, não tenho nenhum receio em apontar "Electric Digger Dandy"  (lançado em alguns países com o nome de "Any Day Above Ground", com o mesmo tracklist e arte diferente) como um dos mais consistentes álbuns de James Reyne. Tenho esse trabalho como uma exata demonstração da sonoridade que ele pratica e que pouco mudou ao longo dos anos. O conjunto de canções é bastante coeso e de alta qualidade, motivo pelo qual não aponto nenhum momento de destaque, já que o álbum segue uma linha bem definida, apesar de permitir algumas variações, mas que não afetam o conjunto. Não me parece possível alguém curtir rock australiano e não conhecer James Reyne, mas se esse for o seu caso, acredite, esse álbum vai lhe surpreender. Material mais que recomendado...

JAMES REYNE - Electric Digger Dandy
Released in 1991 via Virgin Records Australia
Cat. #VOZCD2050

Tracklist
01 Some People (assista ao vídeo aqui)
02 Slave (assista ao vídeo aqui)
03 Reckless
04 Any Day Above Ground (assista ao vídeo aqui)
05 Take A Giant Step
06 Company Of Strangers
07 Black And Blue World
08 Stood Up
09 Outback Woman
10 Water, Water
11 Lay Your Weary Head Down


Musicians
James Reyne: vocals, guitars
Guitars: Tony Joe White, Jef Scott, Brett Kingman, Gene Black, Stephen Housden, Mark Goldenberg
Acoustic guitar: Dan Navarro, Eric Lowen
Bass: John Pierce, Jef Scott Tony Joe White
Drums: Kenny Aronoff, John Watson, Tony Joe White
Drum machine: Simon Hussey
Percussion: Kenny Aronoff, Jim Scott
Keyboards: CJ Vanston, Mark Goldenberg, Simon Hussey, Scott Griffiths
Hammond Organ: Simon Hussey, Mick O'Connor, Scott Griffiths
Piano: Scott GriffithsHarmonica: Tony Joe White
Mandolin: Richard Pleasance
Fiddle: Byron Berline
Backing vocals: Dan Navarro, Eric Lowen, Jim McMains, Renee Gever

Nenhum comentário:

Postar um comentário

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Os suecos da Care Of Night debutaram no universo dos bons sons há cinco anos, com um E.P. autointitulado que chamou a atenção dos amante...