sexta-feira, 7 de setembro de 2018

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Na estrada há oito anos, os suecos do Osukaru já tem belos trabalhos em sua discografia -  que contabiliza oito trabalhos, entre álbuns e EPs - e no dia 27 próximo mais um será adicionado à lista com o lançamento de "House Of Mirrors", álbum que tinha a ingrata tarefa de suceder o ótimo "The Labyrinth", lançado no ano passado. Felizmente, os suecos se mantiveram no caminho AOR/Melodic Rock (que fazem tão bem) e criaram um álbum coeso e carregado com grandes canções, todas executadas por uma banda em total sincronia. Com uma receita dessas, o resultado só poderia ser muito, muito positivo.

A exceção de uma faixa, o álbum é composto por rockers excelentes, que variam em alguns pontos (como não poderia deixar de ser), mas sempre mantendo a qualidade e os elementos que caracterizam a sonoridade do Osukaru.

Após a introdução instrumental "Past The Present" temos "You've Been Waiting", rocker excelente com aura radio friendly que muito me agrada, aura essa sentida ao longo dos versos e exponenciada pelo refrão massacrante, envolto em guitarras e teclados muito bem distribuídos, enquanto "Ritual" tem teclados mais discretos e guitarras onipresentes, além de um refrão grudento, exatamente como deveria ser. E com a mesma orientação radio friendly, "Ain't Too Late (For Love)" abre caminho com guitarras e teclados na linha frente, criando uma onda melódica crescente que culmina em um refrão explosivo.

Mantendo a linha melódica, "X Marks The Spot" tem arranjo mais envolvente e traz mais peso em um rocker cadenciado e marcante, enquanto "Until Forever Ends" surge como a única balada do álbum, desempenhando seu papel com propriedade graças a um arranjo intimista, mas que conta com um refrão imponente e envolvente. Em seguida, a arrasadora "All Guns Blazing" retoma o caminho rocker passando por cima de tudo e todos, com guitarras e teclados em perfeita harmonia e um refrão absurdamente marcante, exatamente como acontece na igualmente excelente "MacGyver It", o single de lançamento do álbum e que dá uma clara ideia da direção musical que o álbum apresenta: guitarras  teclados em abundância, cercados por uma inegável aura radio friendly em um desfile implacável onde elementos de AOR e Melodic Rock se misturam harmoniosamente.

Na reta final temos a empolgante "Red Heat", trazendo mais peso com seu refrão caprichado, além da ótima "Inception", que conta com os elegantes vocais de Anna Savage (e um surpreendente saxofone na receita) e a empolgante "Felicity Drive", com piano e bateria no melhor estilo "I'm Always Here" (do finado Jimi Jamison), conduzindo o ouvinte ao final desse desfile melódico em grande estilo.

Os suecos do Osukaru, circa 2018: Werner,
Osukaru, Mårtensson e Gadd
Em resumo, caríssimas e caríssimos, posso atestar sem medo que "House Of Mirrors" é um dos melhores e mais consistentes álbuns do Osukaru. Acompanhando a carreira da banda de um lugar privilegiado (graças a Oz Osukaru) já há alguns anos, me parece inegável que a banda apresenta um crescimento a cada novo trabalho e também uma expansão no que se refere ao seu estilo musical. Depois de algumas experiências, os suecos encontraram a fórmula que buscavam para nortear seus álbuns. As performances do vocalista Fredrik Werner me soam melhores e mais consistentes, muito provavelmente por conta da aceitação de seus limites como intérprete (todos têm os seus) e as composições dele com Oz Osukaru só fazem melhorar aos meus ouvidos. Não espere um álbum inovador em "House Of Mirrors", mas se lhe falta "novidade", saiba que há qualidade em abundância. Um belíssimo trabalho, recomendado não apenas para os fãs da banda, mas também para qualquer entusiasta do AOR/Melodic Rock contemporâneo...

OSUKARU - House Of Mirrors
To be released on Sept. 28th, via City Of Lights Records
Cat. #COL23

Tracklist
01 Past The Present
02 You've Been Waiting
03 Ritual
04 Ain't Too Late (For Love)
05 X Marks The Spot
06 Until Forever Ends
07 All Guns Blazing
08 MacGyver It (ouça a canção aqui)
09 Red Heat
10 Inception
11 Felicity Drive

Lineup
Oz Osukaru: guitars, keyboards, backing vocals
Fredrik Werner: vocals, guitars
Olof Gadd: bass, backing vocals
Vidar Mårtensson: drums, percussion, keyboards on "Past The Present" and "Felicity Drive"

Guest Musicians
Emelie Blidmark: voices
Anna Savage: 2nd lead vocal on "Inception"
Magnus Mild: guitar solo on "All Guns Blazing"
Jens Björk: sax on "Inception"
Erik Modin: keyboards on "Ain't Too Late (For Love)"
Mathias Rosén: keyboards on "Until Forever Ends"
Kristian Fyhr: keyboard solo on "Felicity Drive"
Sara Verge: backing vocals
Malin Täck: additional backing vocals

Nenhum comentário:

Postar um comentário

JEFF SCOTT SOTO DIZ: "NÃO QUERO ENGANAR NINGUÉM"

O grande Jeff Scott Soto, circa 2020 Em anos recentes, cada vez mais artistas têm usado recursos tecnológicos para que seus shows soem mais ...