sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Um dos nomes mais conhecidos e respeitados no universe dos bons sons, John Waite já era figurinha carimbada no cenário quando lançou “Rover’s Return”, um álbum pouco valorizado mas que figura entre os meus preferidos dentro de sua discografia. Batizado com o nome de um pub do seriado “Coronation Street”, o álbum contou que ilustres presenças e traz algumas das canções mais bacanas de John Waite na década de 80.

O álbum abre com “These Times Are Hard For Lovers” (assista ao vídeo aqui), um AOR maiúsculo com a assinatura do mestre Desmond Child. Gosto muito do andamento e da bridge crescente, culminando em um refrão explosivo. Um dos grandes destaques do álbum e também uma canção para ser ouvida no volume máximo, sem nenhuma moderação. Seguimos com “Act Of Love”, um AC Rock absolutamente radio friendly e outro destaque do álbum. Me agrada bastante a base de teclado por onde as guitarras passam discretamente. A métrica e andamento são perfeitas e a melodia é daquelas que ficam na cabeça por dias. Outra canção que merece volume máximo, janelas abertas e toda garganta que você tiver. Com um approach mais cru chega “Encircled”, outro petardo de destaque. Totalmente calcada em guitarras, essa canção tem teclados muito ocasionais que conferem certo brilho, além de uma melodia bastante coesa. O refrão é discreto e passa quase batido se você não prestar atenção, mas o conjunto melódico funciona maravilhosamente bem e deve agradar os mais exigentes amantes dos bons sons.

Na sequência temos "Woman’s Touch”, um rocker mergulhado em whisky e com cheiro de charuto vagabundo. Com sua estrutura bluesy, essa canção é um contraste muito bem vindo em relação às canções anteriores, além de trazer uma das melhores performances de Mr. Waite ao longo do álbum, na minha opinião. Ouça com atenção e prepare-se para ser lançado no tempo com “Wild One”, outro radio friendly rocker que mais parece ter sido tirado de uma daquelas trilhas sonoras dos filmes adolescentes da década de 80. A melodia é muito bacana e o refrão desce fácil, ecoando em seus pavilhões auditivos por horas. Mantenha o volume no máximo porque ainda temos “Don’t Lose Any Sleep”, mid-pacer cavalar que já recebeu interpretações de Robin Beck e Starship (que gravou a melhor versão dessa canção, na minha opinião). Ainda assim, gosto do trabalho feito por Mr. Waite, especialmente no que tange as guitarras e backing vocals. Arrisque sem medo de errar porque, sinceramente, não tem como...

Na reta final temos “Sometimes”, uma balada linda, com arranjo intimista e melodia envolvente. Essa canção era perfeita na hora daquela dança lenta nas festinhas (se você está na casa do 30 deve lembrar disso), mas posso afirmar que ela ainda funciona bem... hahaha. Já “She’s The One” retoma o caminho rocker com propriedade, apoiada em uma melodia grudenta e arranjo totalmente radio friendly, do jeito que a gente tanto curte. Volume máximo uma vez mais e o mantenha assim para que “Big Time For Love” invada sua sala e espante os maus espíritos. Um rocker mais simples, mais uma vez com as guitarras em primeiro plano dentro de um arranjo simples, porém eficiente. Gosto bastante do refrão animado e considero uma bela escolha para fechar o álbum.

Em resumo, caríssimas e caríssimos, “Rover’s Return” é um álbum excelente, apesar de os fãs mais xiitas de John Waite não o curtirem muito, não sei porque. Grandes canções (com assinaturas de Desmond Child, Diane Warren, Dan Hartman e Charlie Midnight, entre outros), músicos de primeira linha e um vocalista muito acima da média fazem desse álbum uma jóia que, mesmo após todos esses anos, ainda espera para ser descoberta por muitos amantes dos bons sons. Se você é um deles, não perca mais tempo...

JOHN WAITE – Rover’s Return
Released on June 19th 1987, via EMI America
Cat. # 7 46332 2

Tracklist
01 These Times Are Hard For Lovers
02 Act Of Love
03 Encircled
04 Woman’s Touch
05 Wild One
06 Don’t Lose Any Sleep
07 Sometimes
08 She’s The One
09 Big Time For Love

Musicians
John Waite – vocals
Guitars – John McCurry, Gary Myrick
Bass – John K., John Regan
Keyboards, Synthesizer – Arthur Stead, Chuck Kentis, Greg Mangiafico, Tommy Mandell
Drum Programming – Jimmy Bralower
Drums – Anton Figg, Mike Braun, Thommy Price
Backing Vocals – Desmond Child, Diana Grasselli, Diane Warren, Elaine Caswell, Ellen Shipley, Joe Lynn Turner, Louie Marlino, Maria Vidal, Myriam Valle, Patty Forbes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

JEFF SCOTT SOTO DIZ: "NÃO QUERO ENGANAR NINGUÉM"

O grande Jeff Scott Soto, circa 2020 Em anos recentes, cada vez mais artistas têm usado recursos tecnológicos para que seus shows soem mais ...