sexta-feira, 18 de agosto de 2017

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Quando o tenebroso movimento grunge surgiu, no início da década de 90, uma série de bandas e artistas de qualidade acabou soterrada pela falta de interesse do mercado em qualquer tipo de música que não soasse fora de tom e que não tivesse cabeludos usando camisas de flanela as tocando. Entre essas bandas estava a Saints & Sinners, formada no Canadá e cujo único álbum foi produzido por ninguém menos que o conterrâneo Aldo Nova, que também figura como co-autor de nada menos que oito das dez canções que integram o tracklist

Também como colaboradores aparecem Jon Bon Jovi, Rachel Bolan (do Skid Row) e André Pessis (colaborador de longa data do Mr. Big e Eric Martin). Tendo em seu lineup o talentoso vocalista Rick Hughes e o tecladista Jesse Bradman (que já havia tocado com gente do calibre de Night Ranger, UFO e o próprio Aldo Nova), a banda debutou com seu álbum homônimo em 1992, trazendo uma sonoridade bastante característica do hard rock daquela época e com muita qualidade, característica evidenciada pela masterização exímia do veterano e renomado Bob Ludwig.

O álbum é bastante coeso e, como é de se esperar, infestado de rockers arrasadores, como a swingada "Shake" (um dos destaques do álbum), a empolgante "Rip It Up" e a descomunal "Walk That Walk" (outro destaque), que abrem a sessão em grande estilo e apontam a direção que o álbum segue. Múltiplas audições e volume máximo para cada uma delas, por favor...

Na sequência temos a excelente "Kiss The Bastards" (mais um destaque), a frenética "Wheels Of Fire" e a imponente "Lesson Of Love" (outro destaque) mantendo o alto nível musical e confirmando a absurda qualidade da mixagem, detalhe que você deveria ter notado logo na primeira canção. Recomendo manter as múltiplas audições e volume máximo, sem nenhuma moderação.

Saints & Sinners, circa 1992 :Bradman, Dufour,
Bolduc, Salem e Hughes
E com a mesma pegada ainda temos a espetacular "We Belong", a cadenciada "Frankenstein" e a introspectiva "Slippin' Into Darkness", rockers facilmente apontados como destaques do álbum, assim como "Takin' My Chances", linda power ballad que surge como uma ilha dentro do tracklist.

Em resumo, caríssimas e caríssimos, fica claro que o único álbum da Saints & Sinners é uma festa para os amantes do hard rock dos anos 90. Com toda aquela produção grandiosa, canções bombásticas, um ótimo vocalista e uma banda afiadíssima, é mais que lamentável que o quinteto não tenha sobrevivido. Ainda, vale destacar a coesão do álbum. onde a progressão do tracklist foi cuidadosamente planejada. Confesso que, em vários aspectos, comparo esse álbum com o glorioso "Double Eclipse" da Hardline. Esse álbum da Saints & Sinners retrata, de maneira exata, a sonoridade do mais tradicional hard rock 'made in the U.S.A.' logo no início da década de 90. Um trabalho acima da média, irretocável (um dos melhores da década, na minha opinião) e, assim sendo, mais que recomendado.

SAINTS & SINNERS - Saints & Sinners
Released on Feb. 05th 1992, via Savage Records (Japan)
Cat. #TDCN-5013

Tracklist
01 Shake
02 Rip It Up
03 Walk That Walk (assista ao vídeo aqui)
04 Takin' My Chances
05 Kiss The Bastards
06 Wheels Of Fire
07 Lesson Of Love
08 We Belong
09 Frankenstein
10 Slippin' Into Darkness

Lineup
Rick Hughes: vocals
Stephane Dufour: guitars, backing vocals
Martin Bolduc: bass, backing vocals
Jeff Salem: drums
Jesse Bradman: keyboards, backing vocals

Guest Musicians
Aldo Nova: keyboards, programming, additional acoustic guitars
Alan Jordan: backing vocals
Michael Laroque: bass
Tim Harrington: bass
Alan Abrahams: bass
Daniel Hughes: drums
Peter Barbeau: drums

Nenhum comentário:

Postar um comentário

JEFF SCOTT SOTO DIZ: "NÃO QUERO ENGANAR NINGUÉM"

O grande Jeff Scott Soto, circa 2020 Em anos recentes, cada vez mais artistas têm usado recursos tecnológicos para que seus shows soem mais ...