sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Toby Hitchcock despontou no universo dos bons sons em 2003, como frontman do Pride Of Lions, aquele projeto xarope do renomado Jim Peterik. Oito anos depois, ele ingressava em carreira solo com "Mercury's Down", álbum bacana e que trazia uma sonoridade mais pesada e agressiva, diferente do que praticava na banda de Peterik. Agora,novamente depois de um hiato de oito anos, Hitchcock retorna com "Reckoning", trabalho em que mostra seus vocais no material que muita gente gostaria de ouvir: aquele AOR/Melodic Rock contemporâneo que infesta o mercado. Acompanhado pela dupla Daniel Flores e Michael Palace (os novos "Alessandro Del Vecchio" da Frontiers Records), Hitchcock pode ter achado o formato perfeito para sua voz.

Como é esperado em um álbum de AOR/Melodic Rock, guitarras e teclados aparecem em abundância e, por vezes, beiram a demasia, exatamente como acontece na introdução e entre os versos de "No Surrender", mas ressurgem na medida exata em "Promise Me", na balada "Show Me How To Live" e na ótima "Behind Enemy Lines".

"Fighting For My Life" é outro rocker com melodia mais balanceada, assim como acontece nas ótimas "Serenity" (que refrão!!!) e na excelente "Gift Of Flight", mas o exagero dos teclados surge novamente em "Queen Untouchable", quase estragando uma canção bem bacana.

Toby Hitchcock, circa 2019
A ótima "Don't Leave" é outro bom exemplo de equilíbrio, assim como "Someone Like You" (outro refrão matador!!!). E no momento de ouvir aquela previsível bonus track acústica das edições japonesas, a surpresa é que "Show Me How To Live" soa muito melhor naquele formato, despida dos elementos que a conferem grandiosidade. Além disso, os vocais de Hitchcock podem ser melhor avaliados e apreciados, sem dúvida alguma.

Assim sendo, caríssimas e caríssimos, "Reckoning" pode ser apresentado como sendo a antítese musical de seu trabalho anterior. Enquanto "Mercury's Down" tinha mais peso e mais pegada, o novo álbum privilegia as melodias com canções mais acessíveis (?!?!) e com uma inclinação mais radio friendly. Pessoalmente, gostaria de ouvir Hitchcock em um álbum com a orientação melódica de seu novo álbum, mas pontuado pela agressividade do primeiro. Seja como for, Toby Hitchcock confirma sua alta qualidade como vocalista e também mostra que o Pride Of Lions é pequeno para seu talento. Torço para sua carreira solo se consolide o mais rápido possível...

TOBY HITCHCOCK - Reckoning
Released on Jan. 16th, via Avalon (Japanese Pressing)
Cat. #MICP - 11461

Tracklist
01 No Surrender
02 Promise Me
03 Show Me How To Live
04 Behind The Lies
05 Fighting For My Life
06 Serenitiy (ouça a canção aqui)
07 Queen Untouchable
08 Gift Of Flight
09 Don't Leave
10 This Is Our World
11 Someone Like You
12 Show Me How To Live (Acoustic)

Musicians
Toby Hitchcock: vocals
Daniel Flores:drums, keyboards
Michael Palace: guitars, bass
Yngve "Vinnie" Strömberg: drums, percussion

Nenhum comentário:

Postar um comentário

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Não costumo resenhar álbuns gravados ao vivo, mas no de "The Italian Job" , a exceção é mais que justificável. Não apenas pel...