sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

ENTREVISTA COM JOEY SUMMER

Há dois anos, o carioca Joey Summer lançava "Written On The Horizon", álbum excelente que recebeu várias críticas positivas na Europa e que contava com a participação de Fredrik Bergh. Agora, passados dois anos desde então, Summer retorna com "One Bite From Paradise", álbum com approach mais AOR/Melodic Rock e que certamente agradará aos amantes dos bons sons.

Na noite de ontem conversei com Joey a respeito de ambos os álbuns, além de falarmos sobre os convidados de peso que participaram do novo trabalho, os projetos pessoais e as novidades para 2012. Abaixo, a entrevista na íntegra...

01 Lá se vão dois anos desde "Written On The Horizon". O que mudou na sua carreira desde então?

Joey Summer: Olha, basicamente eu aprendi a lidar melhor com a minha música. A muitos anos eu não me dedicava somente ao meu trabalho enquanto artista solo. Neste curto espaço de tempo, acho que cresci como músico, produtor, compositor e vocalista, mais até que nos meus quase 20 anos de músico por profissão. Conheci muita gente boa fora do país, que me ajudou a ver a música de forma mais ampla e acho que me sinto em um processo de evolução musical aguda... (risos)

02 O álbum foi bem recebido lá fora, não?


Joey Summer: Olha, para um álbum de estréia de um artista completamente desconhecido da cena melódica internacional, eu o considero um excelente ponto de partida, um êxito! Teve excelentes críticas, algumas medianas mais nenhuma que eu tenha tido conhecimento de ter sido "destrutiva" ou depreciativa. Eu gostaria de te-lo feito ainda melhor do que eu o considero. De fato, algumas coisas eu não tive muito tempo de aperfeiçoar. O processo entre as primeiras demos que a gravadora ouviu e o seu lançamento sim si, foi relativamente curto. Mas eu gostei muito do resultado final e acho que as criticas foram bem favoráveis. Inclusive por parte da classe musical.

03 Quais as diferenças entre "Written On The Horizon" e o recente "One Bite From Paradise"?

Joey Summer: A música trilha na mesma vibe, um pouco mais focado ao hard'n heavy em alguns momentos, talvez. O diferencial está na produção feita com mais atenção aos detalhes e arranjos, e no fato de pela primeira vez em um disco meu, eu ter me dedicado mais a outros instrumentos ao longo do processo, como o baixo e os teclados que dividi meio a meio com meu tecladista Daniel Lamas. Mas quem curtiu o "Written On The Horizon", com certeza vai ver uma evolução natural neste "One Bite From Paradise" de forma significativa em alguns pontos mais que outros.

04 Sem dúvida, quem curtiu "Written On The Horizon" vai curtir "One Bite Of Paradise" também. E um ponto comum entre os dois álbuns está em Fredrik Bergh. Como ele acabou tomando parte nos álbuns?


Joey Summer: O Fredrik é um cara fabuloso! Músico talentoso e um grande compositor e produtor também. Eu o conheci totalmente por acaso via Myspace. Eu fui add por alguns amigos em comum e fui checar a página dele e ouvi algumas músicas do Street Talk. Fiquei maravilhado (eu não conhecia o ST, lástima) e perguntei se eu poderia gravar algo daquele material, já que a banda é de estúdio e estava inativa a alguns anos. Ele prontamente me enviou mais de 15 músicas para eu escolher e fiquei como criança em loja de brinquedos. Até que me decidi por duas delas "Don't Believe" e "Tables Turning". O convite para tocar no disco partiu de mim...era inevitável, haha. Fizemos uma boa amizade desde então. Ah, sim. Vale citar que foi ele quem me falou sobre um selo recém formado (Avenue Of Allies), por onde o CD acabou saindo. O guitarrista do Street Talk, Sven Larsson, tinha assinado para lançar seu primeiro solo e ele (Fredrik) achou que seria uma boa eu entrar em contato. E foi o que fiz!

05 Mas Bergh não foi o único convidado no álbum. Como Tommy Denander se envolveu no projeto?


Joey Summer: Sim, a história começou com um francês adoravelmente louco e muito criativo chamado Frédéric Slama. Ele ouviu meu álbum e adorou ele. Nos add no Facebook e ele falou comigo que tinha gostado muito do meu disco "Written On The Horizon" e me perguntou se eu estaria disponível para cantar uma das faixas do seu novo projeto AOR, o "Colours Of LA". Fiquei muito honrado pelo convite pois já conhecia o trabalho dele e sempre achei de estremo bom gosto e de altíssimo nível. Nos meses que se seguiram, fomos estreitando uma amizade e ele me perguntou se eu já tinha fechado o set list do álbum. Eu perguntei se ele tinha algo em mente. Ele me disse que tinha 2 músicas para mim. E me enviou as demos e fiquei ansioso para incluir no repertório. Daí entra o Tommy Denander, que é co-produtor de vários álbums de Frédéric. Através e a convite do próprio Frédéric, Tommy gravou as guitarras de uma das músicas que o Slama me mandou .... Composta por Frédéric e Sarah Fontaine, da dupla francesa de rock melódico Chasing Violets... e foi basicamente isto. Tommy é fantástico!

06 Pois é, eu iria perguntar sobre Frédéric Slama (risos). Realmente deve ser um privilégio trabalhar com um cidadão que costuma ter alguns dos melhores músicos e vocalistas do mundo em seus projetos. A canção gravada por você para o álbum
"Colours Of L.A." foi "Under Your Spell", não?


Joey Summer: Isso mesmo. "Under Your Spell" foi uma grata surpresa. Saca aquela música que você ama assim que ouve o primeiro acorde da intro? haha...foi assim comigo. adorei a energia dela, os arranjos...independente de ser eu o vocalista dela, ela teria sido a minha preferida do disco de qualquer modo....haha...e sim! É uma honra estar no meio de uma galera da pesada como aquela. Todos que admiro, alguns desde minha adolescência, como o caso do David Foster, Steve Lukather, etc...

07 E quais foram os músicos que participaram da gravação de "Under Your Spell"?


Joey Summer: Em "Under Your Spell" o Tommy Denander tocou todos os instrumentos e eu fiz os vocais incluindo os backings.

08 A banda que lhe acompanhou em "One Bite From Paradise" é praticamente a mesma de "Written On The Horizon", não?


Joey Summer: Basicamente. Apenas os bateristas mudaram. Em "Written On The Horizon" eu tive o prazer te ter meu amigo e grande músico brasileiro Renan Martins e no novo disco meu brother e companheiro de outros trabalhos o Geraldo Abdo que é baterista do grupo cristão Novo Som, no qual toquei durante 8 anos. Geraldo também gravou no meu primeiro álbum solo "Nascer" de 2009. Abdo é um excelente músico, referência para muitos outros músicos e um cara totalmente voltado a sonoridade dos anos 80. De quebra um grande brother pra mim a mais de uma década!

09 O novo álbum é mais voltado ao AOR/Melodic Rock do que o trabalho anterior, já que não há westcoast em “One Bite From Paradise”. Foi uma escolha consciente sua ou algo que simplesmente aconteceu?


Joey Summer: Boa pergunta! Eu adoro westcoast, classic rock, heavy metal, pop rock...enfim...tudo o que tiver uma boa guitarra e grandes teclados permeando, haha... Mas eu sempre tendo a ir mais para o lado pesado na hora de produzir algo meu. Se eu fosse gravar exatamente o que me vem na mente na hora de produzir, acho que ficaria uma álbum meio com cara de coletânea...Imagina: Uma faixa soaria Air Supply, outra já Michael Sembello e outra ainda soaria Waysted ou Whitesnake...(risos)...seria uma confusão. Então eu sempre começo compondo algo no piano ou na guitarra e na hora da produção eu tento direcionar todas mais ou menos para o mesmo caminho, pra ter algo mais uniforme. Como a primeira música que compus foi "One Bite From Paradise", eu logo senti que precisaria seguir mais por veredas mais pesadas e menos westcoasts.

10 Acho que essa sonoridade mais definida acabou por produzir uma experiência mais coesa para quem ouve o álbum. Pessoalmente, te confesso ser difícil escolher um grande destaque no tracklist...


Joey Summer: Obrigado! Fico honrado! Viu? Acho que tem de ser por aí mesmo. Eu sempre achei que um disco tem que contar uma história, ter começo, meio e fim. Mas quando eu comecei a produzir efetivamente, foi que de dei conta de que as vezes isso na prática é bem mais complicado...haha...mas acho que acertei um pouco mais neste sentido no novo álbum.

11 E quais as influências que você teve durante a gravação do álbum, Joey? Onde buscou elementos para construir as canções?

Joey Summer: Ah, essa é uma pergunta interessante... A primeira música, como disse "One Bite From Paradise" comecei a gavar praticamente no mês em que meu último álbum "Written On The Horizon" foi lançado, em junho de 2010. Naqueles dias eu estava ouvindo muito Jaded Heart...tinha acabado de receber do presente do meu brother baixista da banda Michael Muller, o novo deles, "Perfect Insanity", e estava com aqueles grandes refrões na cabeça e backings gigantes e etc... isso influenciou muito na hora de produzir esta faixa em especial, com certeza. Ao longo do processo comecei a rebuscar toda a sorte de discos e sonoridades que sempre ouvi (praticamente ouço os mesmos grandes álbuns a anos) e me ative muito no “Hysteria” do Def Leppard, que gosto muito. Mas por precaução, decidi esconder meus álbuns da Abba, só pro caso...(risos)... Precisava ser um disco mais pesado que o anterior...acho que Abba não seria uma boa influência no momento...(risos)

12 E o que você anda ouvindo no momento Joey?

Joey Summer: Eu escuto muito o que me agrada o ouvido. Não sou um rockeiro radical, mas tenho minhas reservas à alguns estilos. Mas estou ouvindo muito ultimamente dos discos do Little Texas, Little River Band, Trevor Rabin e algumas coisas mais modernas como Sixx A.M., etc...

13 E como você vê o cenário AOR/Melodic Rock no país, Joey?


Joey Summer: Do meu ponto de vista, no Brasil é inexistente. Muito infelizmente. O Brasil já não pode ser chamado de terra do rock and roll (embora o nordeste esteja me surpreendo abrigando grandes movimentos de rock nacional e internacional). Mas AOR é ainda mais underground que o metal melódico ou o próprio heavy metal neste país. Ficamos restritos a produzir discos que serão lançados lá fora. Já é algo, mas eu adoraria que nosso país fosse mais eclético e não tão segmentado. (Funk, axé, pagode e futebol...risos...)

14 Entendo perfeitamente seu sofrimento... (risos). E falando em sofrimento, nos divertimos durante o carnaval debatendo o evento. Algum comentário a respeito? (risos)

Joey Summer: hahaha...eu sei que vão me detonar depois...mas...haha. O inferno na terra chama-se Carnaval. (Acho que por isso, e tão somente isto, não curto muito o "Carnival Of Souls" do Kiss...hehe)... As pessoas dizem que o brasileiro é um povo sofrido e que tem de se divertir, precisa do carnaval para isto...Piada né? Já vivemos na sacanagem desde que fomos descobertos. Sofredores são os povos de países como Afeganistão, Somália, etc... brasileiro tem é de deixar de ser sem-vergonha na hora de votar e ter mais vergonha na hora de tirar a roupa e se embebedar no carnaval. Na verdade acho que pior que a nudez do corpo, acaba sendo a nudez da alma e do intelecto do brasileiro sendo eternamente terceiro mundista em frente a uma tela mágica chamada computador, que ao invés de nos servir para agregar conhecimento, serve ao contrário, como canal de mais futilidades ainda...pornografia, BBB, música ruim, etc...Cara, vou precisar de um segurança pra andar na rua depois deste desabafo! haha...

15 Depois dessa chinelada - com a qual concordo plenamente - só me resta agradecer a atenção, Joey. Foi um grande prazer falar contigo e te desejo todo o sucesso que você merece com o novo álbum. Um grande abraço e as portas da AORWatchTower estão sempre abertas à você...


Joey Summer: Muito obrigado, Juliano. Eu já lhe disse em outra oportunidade e volto a dizer que o AORWatchTower é o mais importante site brasileiro, se não o único voltado diretamente à este estilo musical que tanto amamos. Parabéns, bro! E aos leitores do site e fans de boa música; continuem apoiando os seus artistas, comprando os CD's originais e downloads legalizados, etc... o amor e apoio de vocês é o que nos faz continuar remando contra a maré musical do mundo e tentando dar a cada dia o nosso melhor em forma de contribuição musical. Vocês são o combustível deste motor que nos mantem funcionando e fazendo a trilha sonora das vidas de muita gente por aí! Keep strong! Rock on!!!!

3 comentários:

Viktor Catedral disse...

ótima entrevista....
agora é aguardar esse grande CD que estar por vir.
ROCK ON FOREVER!!!!

DEEMON disse...

Parabéns por essa maravilhosa entrevista Juliano. O Joey tem tudo para se tornar uma referencia no Aor/Melodic Rock mundial. Aor 4ever!!

Juba.San disse...

Agradeço as palavras gentis dos nibelungos e concordo com os comentários!

O álbum é excelente e Joey Summer tem tudo para se tornar um dos grandes nomes dentro do cenário AOR/Melodic Rock.

Postar um comentário

JEFF SCOTT SOTO DIZ: "NÃO QUERO ENGANAR NINGUÉM"

O grande Jeff Scott Soto, circa 2020 Em anos recentes, cada vez mais artistas têm usado recursos tecnológicos para que seus shows soem mais ...