sexta-feira, 29 de junho de 2012

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Dentro daquele grupo de bandas que nunca tiveram o devido reconhecimento no universo dos bons sons, poucas me agradam tanto quanto os alemães da Frontline. Em 1997 a banda lançou seu terceiro trabalho, o excelente "Heroes", um dos álbuns que mais me agrada na discografia da banda. Com canções muito bem trabalhadas e que contam os com ótimos vocais de Stephan Kaemmerer, além de trazerem um approach radio friendly, esse álbum é tiro certo para os fãs do bom e velho AOR.

O álbum abre com "Our Love", um rocker descomunal que conta com guitarras bem distribuídas em uma melodia cativante. O arranjo é matador e conta com excelentes bridges e backing vocals que convergem para um refrão explosivo. Volume máximo para um grande destaque logo na primeira canção, e que abre espaço para que a ótima "Heroes" se apresente. Um mid-pacer com pegada e métrica bem bacanas, além de contar com um arranjo bem costurado e com uma melodia abusrdamente envolvente, recheada de guitarras. Me agradam muito os backing vocals e o refrão, sempre marcante. Mais um belo momento, sem dúvida alguma, e que também merece volume máximo. Já o rocker "Moving Closer" tem uma levada um pouco diferente, mas ainda assim é interessante. Gosto do trabalho das guitarras e da métrica dessa canção, assim como do arranjo. Mas acho que o grande segredo aqui são os vocais, sempre precisos. Uma canção bem bacana, perfeita para um dia de sol. E "Break My Heart Again" se apresenta como a primeira balada, e que balada!!! O baixo em primeiro plano constrói a base por onde as guitarras desfilam discretamente, se revelando aos poucos, enquanto as bridges anunciam o refrão arrepiante que se aproxima. Outro destaque do álbum, merecedor da máxima potência de seu equipamento de som.

Seguimos com "On The Run", um rocker com arranjo bem diverso, com uma proposta mais pop, mas que não faz feio não. A bateria é bacana, assim como a distribuição das guitarras e alinha pulsante do baixo. Não apontaria essa canção como uma das minhas preferidas, mas não é ruim, apenas diferente. Ouça e tire suas próprias conclusões. Mas o rocker "Someone To Love" retorna ao formato mais tradicional, com seu arranjo e métricas bem características do AOR que tanto curtimos. Me agrada bastante a melodia e arranjo dessa canção, além das guitarras, logicamente. O refrão também é bacana, com aqueles backing vocals arrepiantes e carregado de energia. Belíssima canção, pode apostar. Já "Sign Of The Light" precisou de algumas audições para me convencer. É um rocker bacana, mas o arranjo não desceu fácil, confesso. Ainda assim, a canção conta com um refrão poderoso e guitarras e teclados precisamente distribuídos. Recomendo múltiplas audições se essa canção não lhe agradar logo de início, o que não acontece com "Pain Will Last Forever", um mid-pacer com métrica certeira e backing vocals marcantes, onde a melodia e arranjo são envolventes. Belo monento do álbum...

 Outra canção muito bacana é "Get To You", um mid-pacer que conta com teclados bem colocados em uma melodia envolvente, pontuada por guitarras precisas e emoldurada por vocais perfeitos, especialmente no refrão explosivo e marcante. Considero essa canção um dos grandes destaques do álbum, sem a menor sombra de dúvida, e recomendo volume máximo aqui. Outro destaque é "I Must Be Dreaming", rocker de arranjo simples com sua melodia totalmente 80's, onde as guitarras tem destaque, deixando os teclados em segundo plano. Ouça com atenção e volume máximo, assim como a excelente "All I Wanted", rocker excelente, calcado em guitarras e bateria e que conta com arranjo e melodia perfeitos. Os backing vocals roubam a cena quando se fazer presentes, especialmente no refrão, capaz de fazer entortar os óculos do ciclope. Ouça sem a menor moderação e no volume máximo. E na reta final do álbum temos o "Tonight We Set...", um rocker absolutamente radio friendly, mas muito bacana, cujo arranjo e refrão são perfeitos (volume máximo recomendado aqui!) e "Man In Motion", um rocker com arranjo e melodia interessantes, mas que não me anima de maneira alguma. Se não fede, também não cheira...

Em resumo, nibelungas e nibelungos, "Heroes" é um álbum bastante consistente. Como já disse anteriormente, considero esse trabalho como um dos melhores na carreira da Frontline em vários aspectos. O conjunto de canções beira os 100% de aproveitamento (avaliação pessoal), além das interpretações estarem acima da média em comparação com outros álbuns da banda. Recomendo esse álbum aos amantes dos bons sons sem a menor sombra de dúvida, e também recomendo volume máximo, se possível, com um belo dia de sol.

FRONTLINE - Heroes
Released on 1997 via Teichiku Records Co, in agreement with Signo Records (Germany)
Cat. # TECW 25583

Tracklist
01 Our Love
02 Heroes
03 Moving Closer
04 Break My Heart
05 On The Run
06 Someone To Love
07 Sign Of The Light
08 Pain Will Last Forever
09 Get To You
10 I Must Be Dreaming
11 All I Wanted
12 Tonight We Set...
13 Man In Motion

Lineup
Stephan Kaemmerer: vocals
Robby Boebel: guitars, keyboards
Chris Lausmann: guitars, keyboards
Rami Ali: drums
Thomas Bauer: bass

Nenhum comentário:

Postar um comentário

JEFF SCOTT SOTO DIZ: "NÃO QUERO ENGANAR NINGUÉM"

O grande Jeff Scott Soto, circa 2020 Em anos recentes, cada vez mais artistas têm usado recursos tecnológicos para que seus shows soem mais ...