segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

O QUE PODEMOS ESPERAR DO H.E.A.T.???

Nova canção do H.E.A.T. é decepcionante, mas ainda há esperança
Durante o final de semana ouvi, por repetidas vezes, o single promocional do H.E.A.T., o comentado e muito aguardado "A Shot At Redemption" que precede o ainda mais aguardado "Tearing Down The Walls", que chegará às lojas em 11 de Abril.

Desde a saída do guitarrista e compositor Dave Dalone, em Julho de 2013, os fãs da banda aguardavam os efeitos de seu ausência na banda, mas posso dizer que, pelo menos em um primeiro momento, eles foram pequenos. A característica sonoridade do H.E.A.T. está intacta, mas arranhada.

E digo arranhada por causa, justamente, da canção escolhida para promover o novo trabalho dos caras, a insossa "A Shot At Redemption", cujo vídeo pode ser assistido aqui. Apesar de ser bastante melódica, o que me incomoda nessa faixa é a melodia, fraca e enjoativa.Não bastasse isso, essa canção me soa muito mais como Gotthard (em "Yippie Aye Yay") do que como H.E.A.T. e esse detalhe me incomoda demais. Não sei se essa será a canção mais fraca do álbum, mas assim como aconteceu quando "Adress The Nation" chegou aqui na AORWatchTower, ficou claro que "Living On The Run" - single que promovia aquele álbum - não era, nem de longe, a melhor faixa no tracklist. Nem a melhor, nem a segunda melhor, nem ficava entre as melhores. E é isso que espero que aconteça com o novo álbum dos caras: que o single promocional não reflita a direção que tomaram.

Mas nem tudo foi perdido, ao contrário. O single reservava boas surpresas!

H.E.A.T.: Crash, Jona Tee, Erik Grönwall, Jimmy Jay e Eric Rivers
A inédita "Under Your Skin" é infinitamente superior à canção que promove o álbum, sob qualquer aspecto. O arranjo é mais direto, a melodia infinitamente mais envolvente e o refrão carrega a tradicional explosão melódica que se espera do H.E.A.T.. Aqui, Erik Grönwall não berra feito um bezerro desmamado como faz em "A Shot At Redemption", mas usa seus pulmões de maneira precisa, sem exageros, como sabe fazer. Rezo aos deuses dos bons sons que "Tearing Down The Walls" traga muito mais do que ouvi aqui.

A versão acústica para "In And Out Of Trouble" já havia sido lançada na rara edição dupla de colecionador de "Address The Nation", lançada exclusivamente no Japão e mostra a versatilidade do H.E.A.T. e de Grönwall. O novo formato confere sobrevida à uma das melhores canções do mais recente trabalho da banda.

Mas a grande surpresa foi a regravação de "She's Like The Wind", originalmente gravada pelo finado Patrick Swayze para a trilha do clássico da Sessão da Tarde "Dirty Dancing". Não sou entusiasta de covers, mas confesso que a releitura me agradou bastante e por dois fatores: a diversidade vocal entre Grönwall e Swayze e, especialmente, porque foi respeitado e mantido o arranjo original. É claro que o H.E.A.T. adicionou mais peso e algumas guitarras ao arranjo, mas nada disso descaracterizou a canção que todos conhecemos. Uma bela e grata surpresa, pessoalmente falando.

Isto posto, reitero que a primeira canção do novo álbum do H.E.A.T. é decepcionantemente chata, mas levando em consideração o restante do tracklist, ainda mantenho minha fé na qualidade do próximo trabalho da banda.

Enquanto isso, haja ansiedade...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Existem várias bandas por aí que buscam emular os excelentes sons do Toto , mas poucas conseguem resultados satisfatórios, ainda mais qua...