sexta-feira, 7 de março de 2014

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Se você já era um entusiasta dos bons sons durante a época negra (sim, me refiro aos tenebrosos anos 90 e à peste chamada grunge), certamente conhece 21 Guns, The Storm e Von Groove desde aquele tempo. Sabedor da qualidade dos trabalhos das citadas bandas, era inevitável que a reunião de alguns dos principais integrantes de cada uma não suscitasse curiosidade. E é cercado de ansiedade e curiosidade que recebi o aguardado "Down To The Core", álbum de estréia do projeto L.R.S. e que reúne o excepcional vocalista Tommy LaVerdi, o guitarrista Josh Ramos e o baterista Michael Shotton. Com produção do onipresente Alessandro Del Vecchio, o trio utilizou alguns músicos bem conhecidos da gravadora que os contratou e caprichou nas doze composições do álbum. 

"Mas, e aí, funciona???", você me perguntaria. E minha resposta seria: "Bem, depende do seu ponto de vista...". Digo isso porque o L.R.S. não se ateve ao óbvio, musicalmente falando, quando se analisa o álbum como um todo. Isso não quer dizer que o álbum é inovador, mas certamente não é algo previsível, especialmente no quesito 'refrão'. E é aqui que o seu ponto de vista entra em cena...

O álbum abre com "Our Love To Stay", um rocker contagiante e que traz LaVerdi em uma das melhores performances do álbum. Com arranjo relativamente simples e melodia grudenta, essa canção ainda conta com um refrão excelente, onde backing vocals se revelam precisamente distribuídos, assim como os teclados. Belíssima canção que figura entre os melhores momentos do álbum, assim como a já conhecida "Livin' 4 A Dream" (assista ao vídeo aqui), outro rocker caprichado e que apresenta, basicamente, os mesmos elementos da canção anterior, mas com teclados mais discretos, o que significa dizer que as guitarras tiveram destaque absoluto, além dos descomunais vocais de Mr. LaVerdi. Eis aqui outro belo momento do álbum. Já "I Can Take You There" é um radio friendly mid-pacer bastante tradicional, onde o baixo assume a linha de frente e provém a base por onde a guitarra surge discreta. A melodia é suave e conduz o ouvinte à um refrão contido, mas ainda marcante, da mesma maneira que as b-sections e o solo envolvente de Mr. Ramos, o que me faz apontar essa canção como outro grande destaque do álbum. Mas "Never Surrender" peca por pouco, na minha opinião. Me agrada demais o arranjo enxuto e a melodia crescente, assim como as guitarras mais diretas e o baixo menos evidente. O refrão é explosivo e contagiante, como deve ser, mas confesso achar que há uma demasia desnecessária de teclados ao longo dessa canção, especialmente na introdução. Não é algo que me faça desqualificá-la, mas cito esse "porém" porque achei exagerado. Enfim, ouçam e tirem suas próprias conclusões.

Em seguida temos "Almost Over You", baladaça que realça a capacidade vocal de Mr. LaVerdi. O arranjo dessa canção é muito bem construído e repleto de detalhes que se revelam a cada nova audição. A melodia suave, uma interpretação impecável e um refrão matador resultam em uma belíssima canção que aponto como sendo o grande destaque do álbum e, por isso mesmo, recomendo múltiplas audições. Logo após, temos com "Shadow Of A Man", ótimo rocker que apresenta guitarras pesadas contrastando com os vocais de Mr. LaVerdi dentro de um arranjo muito bem elaborado, com teclados discretamente distribuídos e um refrão memorável, repleto de backing vocals empolgantes em outro grande momento do álbum. Já "Universal Cry" chega com uma introdução suave, mas aos poucos vai ganhando corpo para se revelar um mid-pacer pesado, com guitarras e teclados dividindo espaço dentro de um arranjo intrigante e que cativa o ouvinte um pouco mais a cada nova audição. E acredite, você não vai conseguir ouvir essa canção apenas uma vez, assim como acontece com "To Be Your Man", balada emocionante e que não havia me cativado na primeira audição, mas logo na segunda a coisa mudou e hoje a tenho como uma das faixas que mais curto no álbum. O arranjo dá espaço ao piano e essa mudança na sonoridade vem como uma bela surpresa, e há que se mencionar os backing vocals precisamente bem distribuídos no refrão, que desempenha sua função com facilidade. Essa é mais uma canção à qual recomendo múltiplas audições.

L.R.S.: Michael Shotton, Tommy LaVerdi e Josh Ramos
"Down To The Core" se pronuncia em uma linha mais tradicional, com as guitarras ecoando por todos os lados, acompanhadas discretamente por teclados ocasionais. A melodia é absolutamente radio friendly e gruda na cabeça, impulsionada por um refrão fácil e que fica ecoando na cabeça. Curti demais, assim como "I Will Find My Way", balada bem tradicional sob todos os aspectos, mas não vejo isso como um ponto negativo. Pessoalmente, gostei bastante do arranjo e andamento dessa canção, e mesmo não sendo um grande destaque, não acho que comprometa o resultado final. Ouçam e tirem suas próprias conclusões, mas aviso que "Waiting For Love" segue uma linha diferente do que se ouviu até agora, trazendo uma sonoridade mais dinâmica, especialmente nas guitarras e bateria. E a balada "Not One Way To Give" fecha o álbum com seu arranjo bem trabalhado, mas a canção já não tem o mesmo efeito de suas antecessoras, por algum motivo. Talvez seja o formato que soa um pouco cansado depois de onze canções, mas o fato é que a qualidade está lá, só não me empolgou dessa vez.

Em resumo, caríssimas e caríssimos, o grande trunfo do projeto L.R.S. é o retorno de Tommy LaVerdi à ativa. Claro, essa opinião é absolutamente pessoal e de um órfão da 21 Guns. A reunião do trio (que teve início, justamente, o objetivo de resgatar LaVerdi das sombras) resultou em um álbum bastante interessante, onde cada nova audição revela detalhes que a anterior deixou passar. Confesso que enquanto ouvia o álbum uma vez mais, para compor esse review, novos elementos me chamavam a atenção e esse detalhe é o que me anima em relação a "Down To The Core". Um álbum mais que recomendado, com toda certeza...

L.R.S. - Down To The Core
To be released on March 21st, via Frontiers Records
Cat. # FR CD 639

Tracklist
01 Our Love To Stay
02 Livin' 4 A Dream
03 I Can Take You There
04 Never Surrender
05 Almost Over You
06 Shadow Of A Man
07 Universal Cry
08 To Be Your Man
09 Down To The Core
10 I Will Find My Way
11 Waiting For Love
12 Not One Way To Give

Lineup
Tommy LaVerdi: vocals
Josh Ramos: guitars
Michael Shotton: drums, backing vocals

Guest Musicians
Alessandro Del Vecchio: keyboards, Hammond organ, backing vocals
Nicola Mazzucconi: bass, fretless bass
Anna Portalupi: bass, fretless bass
Jamie Browne: bass

Nenhum comentário:

Postar um comentário

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Existem várias bandas por aí que buscam emular os excelentes sons do Toto , mas poucas conseguem resultados satisfatórios, ainda mais qua...