sexta-feira, 6 de novembro de 2015

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Na década de 80, Eddie Money estava em plena atividade e já era um nome respeitado no cenário musical norte-americano, com uma série de hits entoados por seu vocal todo característico. E dois anos depois do lançamento do clássico "Can't Hold Back" (já recomendado aqui) chegava às lojas "Nothing To Lose", álbum que tinha a ingrata tarefa de, ao menos, igualar-se ao trabalho anterior. Se o objetivo foi atingido ou não, depende de quem responde a pergunta, mas o fato é que esse álbum permanece como um dos favoritos dos fãs de Mr. Money, e é fácil entender porque.

Logo de cara, a explosiva "Walk On Water" (assista ao vídeo aqui) mostra o bom e velho radio friendly AOR que Mr. Money fazia como poucos, aliando guitarras e teclados a refrões impactantes. Na mesma linha - mas com andamento variado - a excelente "The Love In Your Eyes" (assista ao vídeo aqui) também marca presença, assim como a empolgante "Forget About Love". Todas as três canções figuram entre os grandes destaques do álbum e merecem volume máximo, janelas abertas e nenhuma moderação durante as audições.

Com arranjo mais elaborado e andamento pontuado por baixo e guitarras precisas, a excelente "Let Me In" desponta no tracklist como outro grande destaque, onde os backing vocals dos irmãos Waters fazem toda a diferença. Ainda, o arranjo envolvente de "Far Cry From A Heartache" surge como uma bela variante do que os radio friendly rockers oferecem nesse álbum, e é justamente por essa característica que aponto essa canção como outro destaque.

Eddie Money, circa 1988
Já o ótimo mid-pacer "Magic" soa bastante familiar para quem conhece os trabalhos anteriores de Mr. Money, oferecendo uma base acústica que remete a seus primeiros trabalhos, mesmo a canção mantendo uma sonoridade mais atual, detalhe facilmente notado no refrão pontuado por teclados precisos em mais um destaque do álbum. Ainda, a linda balada "Boardwalk Baby" - toda construída com teclados - traz um arranjo envolvente e uma interpretação caprichada, sendo um dos granes destaques não apenas desse álbum, mas da longa carreira de Mr. Money.

Finalmente, o arrebatador mid-pacer "Pull Together" e sua base de baixo e guitarra surpreende pela simplicidade e alta qualidade, com andamento e métrica perfeitas, além de um arrepiante solo de sax. Volume máximo, janelas abertas e nenhuma moderação ao ouvir essa canção que, sem dúvida alguma, desponta como um dos grandes destaques do álbum.

Em resumo, nibelungas e nibelungos, não há como falar da loga carreira de Eddie Money sem mencionar "Nothing To Lose". Um álbum absolutamente excelente, com sonoridade definida, produção caprichada - cortesia do veterano Richie Zito - e belíssimas canções. Pessoalmente, não acho que esse álbum se compare a seu antecessor, mas a distância entre eles é pequena e a qualidade do material é abundante em ambos os casos. Portanto se você ainda não está familiarizado com os bons sons de Eddie Money (que não lança um álbum de material inédito desde 1999), "Nothing To Lose" é um excelente começo...

EDDIE MONEY - Nothing To Lose
Released in 1988 via CBS/Sony Records Japan
Cat. # 25DP 5238

Tracklist
01 Walk On Water
02 Magic
03 The Love In Your Eyes
04 Let Me In
05 Boardwalk Baby
06 Forget About Love
07 Pull Together
08 Far Cry From A Heartache
09 Bad Boy
10 Dancing With Mr. Jitters

Musicians
Eddie Money: vocals, saxophone, harmonica, keyboards, backing vocals
Guitars: Tom Girvin, Richie Zito, Jimmy Lyon, John Nelson, Stevie Salas
Bass: John Pierce
Drums: Mike Baird
Keyboards: Kim Bullard, Jesse Harms, Kevin Gilbert, Richie Zito
Synthesizers: Kim Bullard, Kevin Gilbert
Saxophone: Kevin Hull, David Woodford
Backing vocals: Tommy Funderburk, Joe Pizzulo, Oren Waters, Luther Waters, Maxine Waters, Julia Waters Tillman, Joe Esposito, Bobby Eakes, Donny Gerrard, Bruce Sudano, Joe Turano, Tom Girvin, Annie Simpson, Kevin Gilbert, John Rowe, Jesse Harms, Richie Zito, Tracy Harris

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO

Caríssimas e caríssimos Hoje me dirijo à São Paulo para o show dos irlandeses do U2. Com isso, a Recomendação Da Semana não será...