sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

ENTREVISTA COM JOHNNY GIOELI (PARTE I)


Se você habita o universo dos bons sons há algum tempo, o nome Johnny Gioeli lhe é bastante familiar. Não bastasse ser o criador da Hardline, ele ainda encontra tempo para emprestar sua inconfundível voz a Axel Rudi Pell e ao projeto Crush 40, entre outras tantas empreitadas das quais participa. Mas depois de décadas prestando bons serviços à causa do rock, Gioeli decidiu investir em uma carreira solo, algo que há anos vinha sendo especulado pelos fãs. Agora, com o projeto em andamento e uma dose cavalar de ansiedade crescendo ao longo do processo, Johnny gentilmente achou tempo para falar sobre esse novo capítulo em sua carreira.

Ah, I must say a huge THANK YOU to my dear friend and partner in crime Allee Martell, for making it all happen. Love ya 'til the fat lady sings...


01 Você está há tempos no mundo da música, em bandas e projetos. Um álbum solo é algo que vinha sendo esperado pelos fãs há anos. Então, a pergunta óbvia neste momento é: porque agora?

Johnny Gioeli: Ótima pergunta... a vida se resume a 'timing'. Tenho me dedicado tanto a bandas e essa dedicação continua. Mas eu cheguei a um ponto em minha vida onde quero usar, pessoalmente, todo meu potencial criativo. Está na hora de misturar tudo e beber. Eu literalmente acordei uma manhã e disse, "Sim, estou pronto para isso". Historicamente, álbuns solo não costumam vender bem, mas o foco aqui é criatividade, e não vendagem.

02 E o título, Johnny? Já existe um escolhido ou ainda está em aberto? Tenho certeza de que os fãs adorariam colaborar nesse quesito...

Johnny Gioeli: Eu nunca escolho um título até que a música esteja toda escrita. Um álbum é como um livro sobre sua vida, escrito capítulo a capítulo. Meu livro ainda não está terminado. E sim, muitos fãs tem mandado sugestões. E adoro isso!!!

03 Uma das coisas que as pessoas mais tem falado sobre seu álbum diz respeito à direção musical que ele terá. Dado seu histórico, o álbum terá uma linha mais melodic hard rock ou será algo surpreendentemente diferente?

Johnny Gioeli: Certamente será algo melódico, é o que faço e quem eu sou. Não tentarei ser Johnny, o country star. Isso não é para mim... (risos)

04 Vamos falar sobre canções. Qual a diferença no processo de composição do seu álbum solo quando comparado ao de um álbum de uma banda?

Johnny Gioeli: Bem, eu sempre fui um instrumento para compor material com a Hardline e Crush 40, mas dessa vez tudo ficou mais pessoal e muito mais real. Ainda haverão algumas colaborações com outros compositores mas no fim das contas, vai prevalecer o que vier do meu coração.

05 Então haverá gente de fora compondo contigo!!!

Johnny Gioeli: Sim, eu realmente gosto de trabalhar em conjunto com outras pessoas e aproximar seus talentos e usá-los com o que eu sei. Essa experiência é muito gratificante.

06 Sobre a banda, você pode revelar quem fará parte dela? Algum nome familiar?

Johnny Gioeli: Eu realmente não pensei nisso ainda. Você sugere alguém?!?!? (Risos). Na verdade, ainda estou compondo e preciso reunir todos os pedaços antes de focar nos músicos.

07 Você optou por uma campanha de pledge para lançar seu álbum. Quais são as diferenças entre esse formato e o mais tradicional, por exemplo? Porque com o formato atual, as pessoas acabam recebendo mais que apenas o álbum, contando com uma vasta lista de material extra que varia de acordo com o valor doado...

Johnny Gioeli: É exatamente isso que você mencionou! É uma maneira de envolver os fãs na parte criativa da música enquanto compram o álbum, além de participar de uma ação de caridade e poder ver o que anteriormente era tido como ulrassecreto! Eu adoro a interação e poder dividir isso com os fãs. Adoro as perguntas que me enviam... continuem enviando!!! Minha vida com mais de 30 álbuns foi muito abençoada e não quero me esconder disso. Quero dividir com aqueles que se importam o suficiente para ouvir.

Ainda, vale mencionar o show acústico que será transmitido ao vivo da minha casa. Será em Abril, provavelmente no dia 30. É um privilégio ter fãs de tantos países, mas com a economia atual é quase impossível visitar tantos lugares quanto eu gostaria. Então essa é a minha forma de levar o show até os fãs. As pessoas podem se inscrever para assisti-lo e, durante o show, teremos uma sessão de bate-papo para que eu possa ler os comentários e perguntas de todos. Nas semanas que antecederem o show eu farei uma pesquisa via Facebook para saber quais canções os fãs gostariam de ouvir.

08 Na lista de itens exclusivos está o EP "Colorblind", que contém três canções: a faixa-título, a espetacular "Love Leads The Way" e "Cure Of The Heart", gravadas pela Hardline e Brunette, respectivamente. E eu sei que existe uma história por trás de "Colorblind". Você poderia falar sobre ela?

Johnny Gioeli: Absolutamente. "Colorblind" foi uma das canções que estavam guardadas desde os conflitos em Los Angeles na década de 90. Foi uma verdadeira experiência. Muito pessoal. Eu ainda posso sentir o cheiro de fumaça no ar até hoje. Mal posso acreditar que os humanos escolhem julgar alguém pela cor de sua pele. Somos todos iguais: azuis, pretos, verdes, roxos... só queremos saúde, amor e felicidade. Porque isso é tão difícil? Em "Colorblind" há um trecho que diz "Eu não preciso de meus olhos para ver você... é meu coração que me guia... sou daltônico, daltônico por você...". Entendeu? Acorde, meu povo. Somos todos irmãos e irmãs.

09 Uma parte da grana arrecadada para financiar o álbum será destinada ao Joe Barber Fund. Conte-nos um pouco sobre isso, Johnny...

Johnny Gioeli: Joe Barber é um garoto de 17 anos que mergulhou no mar em Long Island e bateu em uma rocha. Ele está paralisado do peito para baixo. Há milhões de causas para as quais se pode doar, mas esta está aqui e agora. Perto de mim... são amigos da minha família. Eu precisava ajudar da melhor maneira possível... com a música. Hoje, eu penso como parece insignificante poder mover sua perna, seu braço, seu dedo. Agora, pense em Joe. Sua terapia levará muito tempo e muito dinheiro até que ele consiga mover apenas um dedo. Mas temos que fazer alguma coisa.

10 Até o momento, já foi arrecadado 59% do montante necessário para custear o álbum. Quanto já está pronto e você estabeleceu um prazo para lançar o material?

Johnny Gioeli: Ohhhhhhh, vamos conseguir, cara! Somos mais fortes que isso! (Risos). Eu nunca estabeleço prazo para minha criatividade. Não posso.Mas estou dizendo que o álbum será lançado "em algum momento" no verão. Uma grande parte do álbum está em minha cabeça... a salvo do mundo (risos).

Johnny, foi um grande prazer falar contigo sobre esse projeto. Agradeço pelo tempo e atenção dispensados...

Johnny Gioeli: Eu gostaria de agradecer, do fundo do meu coração, a todos que me acompanham ao longo desses 30 anos. Estou muito feliz por ter a oportunidade de me conectar com pessoas ótimas do mundo todo. Sem vocês eu sou apenas "uma voz". Muito obrigado a todos vocês...

Você pode fazer parte desse projeto visitando a página da campanha na Pledge Music e para mais informações visite a página oficial de Johnny Gioeli no Facebook.

Em breve, a segunda parte da entrevista será postada, e o único assunto foi a Hardline: passado, presente e futuro. Tem muita coisa bacana lá, podem acreditar!!!

Stay tuned...

2 comentários:

AM disse...

Obrigado! Gran entrevista.

Daniel Punisher disse...

Matou a pau!

Postar um comentário

AVISO

Caríssimas e caríssimos Hoje me dirijo à São Paulo para o show dos irlandeses do U2. Com isso, a Recomendação Da Semana não será...