sexta-feira, 14 de setembro de 2018

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Desde 2010, quando o absurdamente excelente "Coup De Grace" chegou às lojas, os suecos do Treat vem lançando álbuns consistentes, muito bem produzidos e repletos de grandes canções, fatores que causam ansiedade nos fãs a cada anúncio de um novo trabalho. Pois bem, "Tunguska" (nome do evento referente a queda de um objeto celeste na região de mesmo nome, em 30 de Junho de 1908) não só mantém os melhores elementos presentes nos álbuns da banda ao longo dos últimos anos, mas também eleva o nível daquilo que já se esperava ser excelente. Se você achava que não havia mais como o Treat melhorar, repare-se para uma grandiosa surpresa.

Quase que totalmente recheado com rockers cavalares, "Tunguska" mostra a direção musical que seguiu com a impactante "Progenitors" e seu refrão marcante, enquanto "Always Have, Always Will" é mais cadenciada, mas carrega um refrão arregaçante e grudento, no melhor estilo sueco, que combina perfeitamente com a envolvente "Best Of Enemies" e com a sombria "Rose Of Jericho" e seu refrão massacrante. Quatro doses cavalares do melhor melodic rock do mercado, merecedor de múltipla audições e volume máximo, como sempre.

"Hearthmath City" mantém o alto nível, com melodia empolgante e um refrão caprichado, enquanto a frenética "Creeps" traz um belo trabalho de guitarras e baixo. Já "Build The Love" resgata a sonoridade mais tradicional da banda com propriedade (e um refrão matador), enquanto "Man Overboard" tem andamento mais cadenciado, com baixo e guitarras se destacando enquanto um solo pavoroso de teclado quase estraga tudo. Mais uma sequência arrasadora de bons sons que merece volume máximo e sua irrestrita atenção.

A alternância entre rockers mais dinâmicos e outros mais cadenciados é uma característica de "Tunguska" e "Riptide" representa a primeira vertente com muita propriedade, enquanto a power ballad "Tomorrow Never Comes" surpreende com um arranjo bastante tradicional, mas com um refrão envolvente e que realça o equilíbrio entre peso e melodia, uma característica recorrente em "All Bets Are Off", um rocker incendiário e imponente que conta versos envolventes e um refrão explosivo, ao contrário da cadenciada "Undefeated", mas que conta com um refrão arrasador e marcante, no melhor estilo escandinavo. O álbum encerra com uma previsível versão acústica de "Tomorrow Never Comes", que ganha um ar intimista bastante diverso da versão original, mas apesar disso, seria melhor uma canção inédita ao invés dessas já manjadas versões acústicas.

Os suecos do Treat, circa 2018: Egberg, Ernlund,
Borger, Appelgren e Wikström
Em resumo, caríssimas e caríssimos, não há dúvida que "Tunguska" não é apenas um dos melhores álbuns do ano, mas também um ponto alto na carreira do Treat. Eu poderia me estender em elogios à exímia produção, ao desempenho irretocável da banda, às excelentes performances de Robert Ernlund e tantos outros pontos passíveis de avaliação, mas resumo tudo afirmando sem medo que "Tunguska" é o melhor álbum de melodic rock do ano (não vejo nada do que vem por aí sequer chegar perto desse álbum) e não me surpreenderia se fosse eleito o melhor trabalho de 2018. Um álbum absolutamente obrigatório na sua coleção...

TREAT - Tunguska (Japanese Pressing)
Released on Sept. 05th 2018, via King Record Co. Ltd.
Cat. #KIZC 482/3

Tracklist
01 Progenitors
02 Always Have, Always Will
03 Best Of Enemies
04 Rose Of Jericho (assista ao lyric video aqui)
05 Hearthmath City
06 Creeps
07 Build The Love (assista ao vídeo aqui)
08 Man Overboard
09 Riptide
10 Tomorrow Never Comes
11 All Bets Are Off
12 Undefeated
13 Tomorrow Never Comes (Acoustic)

Lineup
Robert Ernlund: vocals
Jamie Borger: drums
Pontus Egberg: bass
Anders 'Gary'Wikström: guitars, backing vocals
Patrik Appelgren: guitars, keyboards, backing vocals

Nenhum comentário:

Postar um comentário

JEFF SCOTT SOTO DIZ: "NÃO QUERO ENGANAR NINGUÉM"

O grande Jeff Scott Soto, circa 2020 Em anos recentes, cada vez mais artistas têm usado recursos tecnológicos para que seus shows soem mais ...