sexta-feira, 19 de julho de 2019

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Uma década desde seu mais recente trabalho, os alemães da Rammstein retomaram a carreira há dois meses com um álbum sem nome, mas que traz todos os melhores e mais relevantes elementos da sonoridade recorrente na chamada Neue Deutsche Härte (ou New German Hardness, se preferir), nascida em meados da década de 90. O sexteto berlinense é apontado como o grande representante dessa vertente do rock e seus álbuns consistentes e seus shows fantásticos credenciam a banda de maneira irrefutável. E a nova empreitada da banda só faz corroborar toda a fama angariada ao longo dos anos e desfila a tradicional qualidade contida em seus álbuns.

O desfile de bons sons começa com "Deutschland", rocker imponente, de arranjo marcante e que conta com um refrão arrasador, enquanto "Radio" é bem mais dinâmica e divertida (detalhe assegurado pelos sintetizadores na linha do Kraftwerk), mas sem abandonar aquele aspecto obscuro sempre presente nas canções da Rammstein. Já "Zieg Dich" retoma a cadência mais tradicional a banda, com baixo e bateria na linha de frente, ocasionalmente acompanhados por guitarras cortantes e um refrão com andamento mais dinâmico que os versos, ao passo que "Ausländer" coloca - uma vez mais - os sintetizadores a frente do conjunto que apresenta um arranjo mais pop, mas as guitarras nocivas de Herr Kruspe e Herr Landers garantem aquela saudável dose de peso necessária em qualquer canção da Rammstein

Essas quatro canções são mais que suficientes para justificar a aquisição do álbum e, sem dúvida alguma, são grandes destaques desse trabalho, sendo merecedoras de volume máximo e nenhuma moderação.

"Sex" segue a linha mais tradicional da Rammstein, com baixo e bateria disputando espaço incessantemente, enquanto as guitarras surgem imponentes no refrão (sempre explosivo), enquanto "Puppe" surge discreta, quase como uma balada, com arranjo delicado até o refrão, quando o chão se abre e a verdadeira cara da canção se revela, um legítimo exemplar do que a Rammstein é capaz de fazer: aquela canção que parece saída de um filme de terror. A ótima "Was Ich Liebe" é bem cadenciada, com uma linha de bateria malemolente (assim como os vocais de Herr Lindemann), em uma canção que remete aos melhores e mais sombrios momentos da Marilyn Manson, mas é a breve "Diamant" que surpreende: uma balada com base acústica e um elegante arranjo fazem dessa canção o contraponto absoluto a tudo que já se ouviu até aqui. E, uma vez mais, recomenda-se volume máximo e nenhuma moderação ao ouvir mais esse conjunto de canções.

E na reta final temos o excelente rocker "Weit Weg" (com aquela cadência quase militar), além da frenética - e ótima - "Tattoo" e da envolvente "Hallomann", que fecha o álbum de maneira irretocável, equilibrando o peso da bateria e baixo com a suavidade dos teclados.

Rammstein, circa 2019: Landers, Riedel, Lindemann,
Lorenz, Kruspe e Scheneider
Em resumo, caríssimas e caríssimos, esse novo álbum da Rammstein traz a banda em plena forma. As performances beiram a perfeição, as canções são excelentes e a produção, simplesmente irretocável. Eu até concordo que, por vezes, surge a impressão de um exagero aqui e ali, mas o conjunto é muito coeso e conta com todos os melhores elementos das melhores canções que a banda tem em seu currículo. O fato é que a Rammstein não é para qualquer um, pelo estilo e pelo idioma que usam, mas é inegável o fato que a língua alemã (em conjunto com os soturnos vocais de Herr Lindemann) é perfeita para esse tipo de som. Assim sendo, se você não tem preconceito com material gravado fora do inglês tradicional, e se curte aquela saudável dose de peso ao invés dos teclados floridos e perfumados do AOR/Melodic Rock, esse novo álbum da Rammstein (ou qualquer outro dos nove em sua discografia) devem lhe agradar e, quem sabe, até lhe surpreender. Mehr als empfohlenes material...

RAMMSTEIN - Untitled
Released on May 17th, 2019, via Universal Music GmbH
Cat. #0602577493973

Tracklist
01 Deutschland (assista ao vídeo aqui)
02 Radio (assista ao vídeo aqui)
03 Zieg Deich
04 Ausländer (assista ao vídeo aqui)
05 Sex
06 Puppe
07 Was Ich Liebe
08 Diamant
09 Weit Weg
10 Tattoo
11 Hallomann

Lineup
Till Lindemann: vocals
Richard Z. Kruspe: guitars, vocals
Paul Landers: guitars
Oliver Riedel: bass
Christian Lorenz: keyboards
Christoph Schneider: drums

Guest musicians
Mera Al-Mer: vocals on "Deustchland" and "Tattoo"
Carla Bruhn: vocals on "Hallomann"
Wilhelm Keitel: conductor on "Zieg Deich" and "Puppe"
The Academic Choir And The Symphony Orchestra Of The National Television And Radio Company Of Belarus, Minsk:  strings and choir on "Zieg Deich" and "Puppe"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

JEFF SCOTT SOTO DIZ: "NÃO QUERO ENGANAR NINGUÉM"

O grande Jeff Scott Soto, circa 2020 Em anos recentes, cada vez mais artistas têm usado recursos tecnológicos para que seus shows soem mais ...