sexta-feira, 11 de agosto de 2017

RECOMENDAÇÃO DA SEMANA

Ah, o que dizer de Serafino Perugino e suas mirabolantes ideias??? O presidente da Frontiers Records já é bastante conhecido pelos projetos que idealiza e, conforme já dito aqui na casa, é fato que muitos são vergonhosos, enquanto outros funcionam bem. 

O quarteto batizado de Kryptonite se encaixa na última descrição. Reunindo figurinhas bem conhecidas do universo melodic hard rock (de bandas renomadas como The Poodles, Treat, Palace e Eclipse), o projeto debuta com o álbum auto-intitulado e que, se não traz nada de inovador, também não é exatamente "mais do mesmo". Isto porque a soma de cada um dos integrantes - e a musicalidade que trazem de suas respectivas bandas - acabou por criar um álbum extremamente coeso e de alta qualidade, sob qualquer aspecto. Se o melodic hard rock é a sua praia, prepare-se para uma belíssima surpresa.

A sonoridade da banda é apresentada nos rockers "Chasing Fire", "This Is The Moment" e "Keep The Dream Alive", onde guitarras e teclados disputam espaço na linha de frente, enquanto baixo e bateria envolvem o ouvinte em camadas graves por onde vocais bem colocados atravessam facilmente. Os arranjos são bem cuidados e merecem sua atenção ao longo de múltiplas e incessantes audições.

Mas, pessoalmente falando, o fino do álbum vem a partir de "Fallen Angels" (um dos destques do álbum), um rocker potente e caprichosamente grudento, assim como acontece com o excelente - e comedido - "Across The Water" e também com o excelente "Love Can Be Stronger", outro destaque do álbum. Essas três canções reforçam o caráter melódico intimamente ligado à bases mais pesadas e revela, ainda, o equilíbrio perfeito entre ambas as partes. Três ótimos exemplos do melodic hard rock contemporâneo que merecem sua irrestrita atenção.

Mas ainda há mais lenha prá queimar com "One Soul" (outro destaque do álbum), "Better Than Yesterday" (mais um destaque) e "No Retreat, No Surrender" (outro destaque), todos rockers arrasadores e possuidores das melhores qualidades que o melodic hard rock pode conferir à uma canção. E não posso deixar de mencionar a linda e envolvente "Knowing The Both Of Us" (mais um destaque do álbum), balada com estrutura clássica e que oferece contraponto ao tracklist predominantemente rocker. Ouça tudo isso com o máximo de atenção e sem nenhuma moderação.

Kryptonite, circa 2017: Palace, Samuels, Egberg e Bäck
Em resumo, caríssimas e caríssimos, o álbum de estreia da Kryptonite é muito, muito bacana. É verdade que não traz nada de novo e nem se diferencia muito do que está por aí. Entretanto, todas as canções são bem construídas e perfeitamente interpretadas. Ainda, entre todos os elementos que compõe esse material, há que se destacar o excelente trabalho de Michael Palace, que desfila classe e talento de sobra ao longo das onze canções. Finalmente, a produção está bem acertada, mesmo tendo um exagero aqui e ali, mas nada que comprometa a integridade do álbum como um todo. Portanto, eu repito que, se a sua praia é o melodic hard rock, a Kryptonite chega como uma bela surpresa...

KRYPTONITE - Kryptonite
Released on Aug. 04th 2017, via Frontiers Records
Cat. #FR CD 807

Tracklist
01 Chasing Fire
02 This Is The Moment
03 Keep The Dream Alive
04 Fallen Angels
05 Across The Water
06 Love Can Be Stronger
07 Knowing Both Of Us
08 Get Out, Be Gone
09 One Soul
10 Better Than Yesterday
11 No Retreat, No Surrender

Lineup
Jakob Samuels: vocals
Michael Palace: guitars
Pontus Egberg: bass
Robban Bäck: drums

Guest musicians
Alessandro Del Vecchio: keyboards
Pete Alpenborg: keyboards
Mats Valentin: keyboards 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AVISO

Caríssimas e caríssimos Hoje me dirijo à São Paulo para o show dos irlandeses do U2. Com isso, a Recomendação Da Semana não será...